quinta-feira, 21 de abril de 2011

Coexistimos?



Desde sempre a frase: “Religião é o ópio do povo” martela minha cabeça. Esses últimos dias tenho refletido muito sobre isso. Não só pelo efeito ópio, como pelo efeito explosivo que a palavra religião pode trazer. Em nome de Deus as maiores atrocidades foram feitas ao longo da história da humanidade.  

Tenho escutado e presenciado pessoas dizendo que é o fim do mundo, que tudo que acontece agora está escrito na bíblia. Ora meus caros, não quero desrespeitar a religião nem a crença de ninguém, até porque a abordagem aqui vai se tratar sobre respeito também, mas atrocidades acontecem desde que o mundo é mundo e o “fim” sempre muito próximo, em todas as épocas, nunca chegou. Esses dias vi um grupo de pessoas em plena Central do Brasil, aqui no Rio de Janeiro, com placas, blusas, panfletos, que anunciavam o “Fim do mundo” para o dia 11 de maio de 2011. Hã? SIM. Segundo esse grupo, muito simpático e sorridente (?), o FIM será mês que vem. Pensa que as pessoas achavam estranho o fim de tudo ser mês que vem? Nada! Logo um grupo de pessoas sorridentes também (É pra rir???), paravam e se informavam sobre o suposto fim... Imaginem a cena, eu sozinha na rua, vendo isso e... Rindo! Ri para cassete e no mínimo fui dada como louca pelos andantes que passavam. Sim, a louca seria eu, que não anuncio o fim para o mês que vem, enfim...

Logo mais adiante um outro grupo, de maioria senhoras, gritavam e esperneavam, com direito a microfone e caixa de som, algo muito parecido sobre o FIM, mas acredite em som de pagode (!!!) Ou como diziam pragod (KKKKKK!!!). Pensei: “Meu Deus! Que papo é esse? Você ta deixando o povo louco com isso!“ Tive a impressão que Deus me respondeu: “Minha filha, não tenho nada a ver com isso! São invenções humanas, me poupe...”
Ok! Fantasiei. Deus não falou comigo... Mas bem que essa seria uma ótima resposta para os preocupados com o fim, seja mês que vem ou daqui a 100 anos. Se existe um Deus ou não, com certeza, não deve ficar ameaçando as pessoas em acabar com tudo, acho que essa “invenção” de “fim” é mais uma forma de controlar as pessoas, de amedrontá-las e me arrisco até ousar dizer (me critiquem se quiser!) de conseguir mais dizimo, se é que vocês me entendem... Digo e repito: Quem está acabando com o mundo, somos nós, humanos medíocres, que nos sentimos os donos da verdade e da vida, imagem e semelhança de Deus que mata o próximo e comete atrocidades em nome de dinheiro e poder.

As pessoas podiam lançar campanhas para amar ao próximo, independentemente de raça, religião, classe social, opção sexual...  Acredite, toda guerra, toda violência que presenciamos até hoje nasceu de um preconceito, seja ele religioso, racista ou social.

A sociedade, não só no Brasil, tem uma dificuldade muito grande em aceitar o diferente, acreditando ser a sua a única verdade, não respeitando a opinião de outra pessoa. Esse mundo é tão grande, tão sortido e adverso de culturas e pensamentos, que soa ridículo, em pleno século XXI, noticias de racismo, intolerância religiosa e homofobia. Mas é o que mais temos visto ultimamente, não é mesmo? E pior: Com grande número de adeptos.

Ora, não estou pedindo para ninguém deixar de acreditar na Bíblia, no fim do mundo ou virar homossexual. Como já disse, respeito a verdade de cada um e suas crenças. Apenas alerto para não se deixar levar pelo apelo religioso “de fim” e de acreditar ser “a sua” a única verdade religiosa e cultural. Abra o coração, ame e respeite. Acredito ser essa a maior verdade do mundo, se não acredita, pelo menos respeite...

sábado, 2 de abril de 2011

Sobre mudança, Buda e Bolsonaro.

                                                           Fica ai meditando, fica...


Mudar é preciso! Mas que é difícil é demais... No meu caso, sem perder a personalidade, tarefa quase impossível, confesso.

Depois de umas rasteiras e decepções, relacionadas ao blog, resolvi fazer algumas “suaves” mudanças. Espero que meus três leitores assíduos gostem das mudanças que virão a seguir. Estou dando um tiro no escuro, não sei se acertarei, mas precisava fazer, não só aqui no blog, como na minha vida. Não tem jeito, virtual e real acabam se misturando. Papo chato esse, né? Pois é... Mas eu preciso começar de algum lugar e esse me pareceu o mais certo.

Eu poderia estar “tô nem ai” para meus pouquíssimos leitores e escrever logo o que quero escrever, mas preferi me explicar... Hã? Oi? Tá! Vou começar! Não falo mais sobre isso...

Pensei em tantas coisas para escrever aqui, aliás, minha mente esses dias tem trabalhado de uma forma tão filosófica... Mas acredite: É no momento menos propicio, o qual penso dez mil coisas legais para escrever aqui. Quando tenho apenas meu tênis correndo sobre o asfalto, minha determinação e minha respiração... Cadê as teclas para materializar tantos pensamentos? Cadê o cadernino? E quando finalmente termino, os pensamentos que eram férteis e prósperos, continuam a corrida pelo asfalto que deixei para trás, deixam minha mente, talvez atrás de algum atleta que continua por ali... Que pensamento safado, viu?

O amigo @rogerholanda sugeriu-me falar sobre Buda... Hã? B-U-D-A, que eu deixe bem claro! Acho que falar sobre o mestre religioso fará você ai, sair correndo e nunca mais voltar ao meu blog. Mas e bem interessante! Você sabia que BUDA não denota apenas um mestre religioso que viveu em uma determinada época? Mas toda uma categoria de seres iluminados que alcançam tal realização espiritual e... Opa, ok! Parei... É só ir ao Wikipédia...

Também pensei em falar sobre o Bolsonaro e sua opinião racista sobre gays e negros, mas assunto esse já muito debatido na net, inclusive por mim nas redes sociais. Então, meu queridos, que se foda o Bolsonaro, sua opinião e quem vota nesse enrustido. Sim, para mim quem diz coisas assim, não passa de um ENRUSTIDO. Penso que pode ser pior: Tem político por ai, que aperta sua mão, dá colo a criancinhas e diz apoiar o movimento gay, mas no intimo é um tremendo “Filadapulta” e ta se lixando para seus eleitores . O que não canso de dizer aqui? Investigue muito em quem votará, pesquise e lembre-se das promessas. Pois o Bolsonaro tem direito de expressar-se como quiser e arcar com as conseqüências depois, o que não pode acontecer é ele se eleger novamente, ISSO QUE NÃO DÁ!!!

Já sei, ta doido(a) para saber sobre os contos, né? Pois é... Os contos acabaram... (Ouço gritos?!) Calma! Brevemente divulgando o endereço de um blog só para eles, ok?

Acompanhe as novidades no meu twitter: http://twitter.com/#!/FabiFolly