segunda-feira, 26 de abril de 2010

O Viradão Carioca, o argentino e a consciência política.

Como alguns poucos sabem minha vida social anda meio morta (meio é bondade minha, ela inexiste!) sabendo dos shows que estão rolando na cidade do Rio de Janeiro, resolvi me divertir um pouco.
Usando a ferramenta já conhecida por todos  MSN combinei com minha amiga Carol e seu namorado Ênio de irmos ao tal Viradão Carioca, uma espécie de shows mútuos que estão rolando por aqui na cidade. Ao chegarmos no palco da Cinelândia perguntei a Carol:
- Mas o que é na verdade esse evento? Qual o motivo da comemoração?
Carol me respondeu seriamente:
- É um evento organizado pelo prefeito para dar alegria a população e nos fazer esquecer as merdas acontecidas nos últimos dias.
Respondi prontamente: - ahaaaa táááá...
Enfim, resolvi aproveitar o pão e circo e naquele momento não deixei minha consciência política falar,  me deixei levar pela maravilhosa organização cultural de fundo macabro: Ludibriar a população...

Já na Lapa, apresentava-se  grupos de RAP, liga de mc´s, sei lá... Me senti um peixe fora d'agua. O povo todo sabia cantar as músicas! Até o Ênio sabia, menos eu e Carol.
Carol disse no mesmo tom irônico de cima:
- Estamos ficando velhas Fabiana! O povo canta e "nóis" não sabe cantar Fabiana!!!
Então respondi: - Ora! Balança a cabeça e canta só o final da musica!
E assim foi um festival de: - Koé é é é, dignidade ade ade ade, igualdade ade ade ade... acho que conseguimos nos infiltrar bem...
E dá-lhe vinho!

A certa altura do "campeonato" encontramos Heron, famoso na Lapa e recintos do Heavy Metal. O papo que rolava era esquisito, principalmente para os meninos ali presentes, era um tal de fio terra para lá e para cá, papos esses que só o vinho proporciona, lembramos do Argentino. Você sabe a história do Argentino?
Pois é história essa narrada por nosso amigo Heron. Que ajudou um amigo argentino a ficar no Brasil e por final abre uma porta, dá de cara com o tal amigo Argentino de quatro sendo deflorado ( ou arrombado) por um homem. Fazendo sinal de sair disse o Argentino para Heron:
- Derpoi tehhhh erplico!!!
Heron fechou a porta e nunca mais quis ver o tal amigo e suas explicações ilógicas... Rsrsrs...

                                                   Créditos da imagem e só clicar na imagem.

Ao caminho para a Praça XV, precisei ir ao banheiro químico. Que PQP, aquilo é esquisito demais! Ora bolas, se é sabido por todos, que mulher nenhuma vai sentar em lugar algum para fazer o seu xixi, por que não fazer algo mais apropriado para a situação? Eu tenho só de perna 1 metro e tal... Junte isso aos copos de vinhos bebidos e já viu no que deu! Me senti uma acrobata do Cirq du soleil!!! Sim eu tenho uma pseudo-inveja peniana...
Dentro do banheiro escutava Ênio do lado de fora discutir com carol: - Não! No meu anus nãoooooo!!! ( o que será que eles discutiam?)

Ao me deparar com a estrutura do palco da Praça XV, minha consciência que também estava de pileque pelo pão e circo ( nesse caso pão e vinho), despertou. -PORRA! PARA ISSO TEM DINHEIRO NÉ?







Lógico que não sou contra a eventos culturais dessa natureza, pelo contrário! Eu achei ótimo! Mas refleti sobre o assunto. Se há dinheiro para um evento de natureza não essencial para o Estado, deve sobrar para o ESSENCIAL. Está sobrando? Não é o que temos visto, não é?

GENTE ACORDA! REFLITA! VOCÊ É CAPAZ DE PENSAR POLITICAMENTE, MESMO NÃO GOSTANDO DE POLÍTICA!


Me adiciona no Twitter: http://twitter.com/FabiFolly

domingo, 18 de abril de 2010

O grande encontro

Chegou na festa sozinha, como dizem por ai: com a cara e a coragem. Tentou ser discreta, mas era uma tarefa difícil para uma mulher bonita e charmosa. Usava um vestido preto simples que valorizava seu corpo cheio de curvas. Os olhares se viraram para ela, que  manteve a discrição a todo momento. Alguns minutos pareciam penosas horas de olhares observadores. Quando uma voz surgiu, acalmou sua alma deu-lhe um beijo no rosto.

- Não acredito que você veio Yasmin! Muito obrigado, pensei que não viesse. Aliás uma pessoa que eu também não esperava veio de longe me prestigiar. Estou muito feliz!
Era Ivan, seu amigo escritor, que lançava um livro naquela noite. Seus olhos brilhavam, era perceptível sua felicidade. Mas de quem ele falava? Quem poderia vir de longe aquela noite?
Seu olhar percorreu todo o ambiente, eram rostos desconhecidos. Mas um rosto, um olhar, chamou-lhe a atenção. Eram olhos grandes, castanhos, também brilhavam e olhava para ela de um modo diferente... Fitou aqueles belos olhos por alguns segundos e foi reparando na pessoa por inteiro.
Ivan ficou parado olhando toda aquela cena que parecia mais saida de um filme, e disse:
-É minha amiga, ele veio! E pelo visto vocês dois se reconheceram. Nossa!
Sentiu o coração pular pela boca. Era Jorge seu amigo virtual. Nunca imaginou encontra-lo pessoalmente algum dia, e muito menos naquela noite!

Ele caminhou na sua direção e continuaram se olhando sem desviar a atenção. Riram e as palavras faltaram...
O coquetel de lançamento seguia, os dois amigos conversavam sem parar... As horas passaram e não sentiram, Ivan se aproximou:
- Genteee vou emboraaa! Acho que me empolguei demais e exagerei na bebida... Tô passando mal...
Jorge segurou Ivan e Yasmin ajudou, resolveram levar o amigo para casa discretamente. Chegaram no apartamento do amigo, agora desmaiado. Não sabiam se riam ou se ficavam serios com a situação e no final ficaram rindo os dois na sala. Ivan lá desmaido na cama e os dois rindo...

Pararam de rir e se olharam profundamente... A atração era enorme, Jorge colocou a mão na cintura de Yasmin apertou suavemente e a trouxe para junto dele. A respiração era ofegante e os lábios se aproximaram, o beijo foi suave e cheio de desejo. O beijo ficou quente e as mão de Jorge tiravam suavemente o vestido preto que era a única barreira para sentir a pele macia, cheirosa e quente de Yasmin.


Estavam agora se amando no chão da sala de Ivan que dormia no quarto sem nem ao menos imaginar as quentes cenas de sexo que aconteciam em sua sala...


Adicione-me no Twitter: http://twitter.com/FabiFolly

domingo, 11 de abril de 2010

Enchentes e projeto ficha limpa, como sempre a população sai prejudicada.

Muito já foi falado e vivido sobre a enchente no Rio de Janeiro e também em Salvador, mas vou dar minha singela opinião: na terça dia 06/04/2010, dia mais conhecido por feriado da chuva, o Rio de Janeiro parou e foi praticamente "cancelado" por conta de uma forte chuva que causou além de tudo muito desastre e mortes.

O que não entendo é que com tanta tecnologia a meteorologia não previu essa chuvarada toda! NOSSA ERA MUITA ÁGUA!!! Não deu outra, muitos morros vieram abaixo e como sempre a população pobre sofreu as conseqüências do descaso das autoridades.

Uma série de fatores contribuiram para o caos total: o sistema de escoamento do Rio de Janeiro, que como todos sabem é uma boa merda, e só se fala e lembra disso quando a mesma merda é jogada no ventilador; a total falta de consciência ecológica e de limpeza da população ( joga-se muito lixo nas ruas e nas encostas falta saneamento básico!) o velho problema social que é a construção de casas nas encostas dos morros, esse aliás um problema  das antigas, que em toda tempestade volta a tona.









Mudando de assunto... Emperra na Câmara o projeto ficha limpa. Ou seja não entra em vigor nessas eleições o que eu já suspeitava! Os senhores parlamentares dos "nobres" partidos DEM, PSDB, PPS, PV, PSOL, PHS, mais as bases do governo PP, PR, PT e PMDB - só bastava os dois últimos para o pedido de urgência entrar em vigor - deram para trás e o projeto acabou não tendo assinaturas suficientes... Enfim... Dá para acreditar nisso? Uma pouca vergonha já que o projeto do "procurado" Paulo Maluf que cala o Ministerio Público, recebeu regime de urgência!!! 
POVO ACORDA!!! 
Estão pintando e bordando em nome de uma democracia que não está existindo por culpa nossa, dos nossos votos!!!



Eita semana do cassete!!!

Adicione-me no Twitter: http://twitter.com/FabiFolly