terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Calcinha do Ano Novo.






Todo fim de ano é a mesma coisa! O povo parece que fica em outra atmosfera, outro mundo. Não sei se é a comida, a bebida ou sei lá, psicológico mesmo. Acho que a culpa é das passas! Aquela porrinha preta que fica lá no meio de tudo: arroz, maionese, peru, pernil, farofa... É um festival de passas que PQP, tenho quase certeza que o povo fica assim por causa das PASSAS!!!!

Tendo comido muitas passas ou não, só sei que eu, logo eu, acabei entrando nessa dança. Lá estava na loja, dessas da musiquinha chiclete de fim de ano, “Já é Natal na...”, enfim, lá estava na convicção de comprar uma CALCINHA e seguir minha tradição mais pessoal: A cor da calcinha tem que ser correspondente ao meu maior desejo para 2012 (pode rir, mas também tenho minhas manias!). Então, imagine você, que calcinha rosa é amor, vermelho casamento, amarelo riqueza, verde esperança e por ai vai... Ri sozinha quando tentei lembrar a cor da calcinha que passei 2010 para 2011. – CASSETE! Deve ter sido branca, que “a coisa” foi de uma “paz”, sem tamanho!!!
Lá estava eu, de um lado calcinha rosa e do outro, calcinha amarela... Minha mente borbulha e até nessa medíocre hora passo a filosofar com meus botões! A beleza do amor ou o conforto da riqueza? De novo rindo sozinha... E como cantei um foda-se para o que pensam de mim, falo sozinha também:
- Que merda! O amor só me fodeu e a riqueza foge de mim igual ao Diabo da cruz! Então, comprarei a amarela e o amor que vá pra PUTA QUE PARIU!
Coloco a calcinha rosa no lugar e caminho em direção ao caixa, o coração aperta... Paro, olho para a amarela, viro e olho a calcinha rosa no cabide da loja. Momento novela. Volto. ­
- Que dúvida cruel!!! Não posso ser hipócrita, quem é que não sente falta de amor?
Sem perceber, algumas pessoas passam a prestar atenção em mim, falando sozinha com duas calcinhas na mão. Decido pela rosa, mas rapidamente mudo de opinião. Coloco as duas no lugar e fico com a mão no queixo, pensando, pensando... Não imagino quanto tempo fiquei nesse dilema. Até que, alguma alma feminina, que talvez tenha se identificado com meu dilema, vem ao meu auxilio:
- Do outro lado, tem uma calcinha amarela com coraçãozinhos rosa...
Minha face se ilumina e abro um sorriso. Agradeço freneticamente e vou em direção a solução do meu dilema e vejo a junção dos meus desejos!
-É ela! Minha!
Saio da loja “feliz da vida”, como se a compra de uma simples calcinha fosse a solução dos meus problemas, carências e divagações. A CULPA DISSO TUDO É DAS PASSAS!!!

Feliz ano novo, gente! Que nossas vidas sejam repletas de amor, saúde, riquezas, casamentos felizes, esperanças e paz! Sem ter que usar calcinhas coloridas para isso...

Obrigado a todos os amigos que passaram aqui, no meu humilde blog, nesse ano de 2011! Desculpa minha ausência em alguns blogs e comentários, minha vida virtual foi bem conturbada, mas espero (calcinha verde, esperança!) que em 2012 tudo se resolva! Beijos!



quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Sobre intimidade, família e Natal.


 O que você faz quando ninguém te vê fazendo?
Ou o que você queria fazer se ninguém podesse te ver...

Intimidade é uma merda, né? Pensa bem, o ser humano como ele é, sem as máscaras que usamos normalmente no dia-a-dia para os “não íntimos”.
Estava aqui pensando outro dia, enquanto tomava banho e fechei a porta, sem trancar, e der repente entra minha mãe no banheiro, senta no vaso sanitário, dizendo que estava apertada, com a papagaia nos ombros, (cena bizarra, mas real, temos uma papagaia) justifica-se dizendo:
 – É apenas xixi...
Seguidos de leves peidinhos, daqueles sabe “da pressão”? Rs... Eu fiquei sem ação e reclamei:
-Porra mãe? Tá de sacanagem?
Logo em seguida entra minha filha, chamando a avó... E eu lá, pelada, já sem ação! E como o Shiryu (cachorro), vai seguindo Bárbara (minha filha) pela casa, logo coloca o cabeção no banheiro... Gritei:
-Caraca! Quem falta agora? O Papa? Barak Obama?  Chama os Power Rangers! Mais alguém vai entrar nesse banheiro agora? Preciso me preparar...

Pois é, caros amigos leitores, coisas do dia-a-dia e intimidade de uma família. Ainda acho que a pior intimidade é entre marido e mulher... Já fui casada (sim, fui) e sei bem o que é... Aquela magia toda, mistério e paixão do inicio e a intimidade dos anos, não são fáceis de lidar, quem já foi ou é casado sabe bem disso.

Na época de casada ficava muito preocupada com isso. Essa coisa que a televisão, cinema mostra do romântico banho a dois, depois de um dia inteiro de trabalho é uma MENTIRA cabeluda! Eu nunca gostei de alguém comigo no banheiro depois de um dia inteiro de trabalho! Porra quero fazer minhas coisas sozinhas, sabe? Tem coisa mais íntima e pessoal do que tomar banho e lavar “as coisas” direitinho? É lavar a piriquita (ela de novo, sempre presente no meu blog) lavar o “fiofilho de carvalho (vulgo cu)”? Eu sinceramente não julgo romântico e misterioso lavar o cu, naquela pose nada sexy, na frente do marido ou esposa, mas cada um com seu cada um...

     Tudo juntinho no amor é romântico...

E falando sobre intimidade e família, lembrei que o Natal já é daqui a três dias (isso dependendo do dia que você está lendo esse BELÍSSIMO texto, muito instrutivo). Eu cai na real quando minha mãe fez lentilha, o jornal da tarde não para de mostrar o SAARA (Centro de comercio popular, aqui no Rio de janeiro), os Shoppings estão abarrotados de gente e a Líder Magazine fica tocando incessantemente na televisão aquela musiquinha chiclete: Já é Natal na Líder Magazine ...

Alou gente! Para tudo! Natal é isso? Acho eu, e olha não tenho religião, que Natal é outra coisa...

Pensei que fosse a comemoração do nascimento de Jesus, aquele grande homem que morreu pregando o amor e respeito pelo próximo.  Amor e respeito ao próximo? Sinceramente, não é bem isso que percebo há alguns Natais da minha vida. O povo gasta horrores, o comércio e o Capitalismo engordam seus bolsos e Jesus que é bom, nada... Virou uma grande festa, que o povo ganha presentes, come horrores e outros passam fome. É gente, Feliz Natal!

                                             Espirito Natalino segundo comerciantes...

Não sei se volto até o “Ano novo”, vou pensar, to meio revoltada da vida, cansada de internet, do povo alienado e sei lá, não sei, tô de TPM... Vou pintar o cabelo de azul, parar com a dieta e que se foda os padrões dessa sociedade ridícula! Feliz Ano Novo! Fui...

domingo, 11 de dezembro de 2011

Mini saia, juventude e alienação

Thuthucas de mini saia...

Fico impressionada com o tamanho das saias, vestidos atuais... Sem exagero, parecem mais blusas um pouco mais longas, bem apertadinhas no corpo, do tipo que se levantar um pouco mais a perna, a calcinha fica à mostra (isso se, estiver de calcinha, oi? Sério...). Virou moda agora mostrar a “piriquita” na rua, afinal, né? O que faltava mais mostrar? Rs... Tá, não sou nenhuma santinha, gosto de saia curta e também já fui adolescente, mas esses vestidos são do tipo MUITO DESCONFORTÁVEIS, nem se eu fosse a atual ou ex namorada do Belo, teria coragem de usar! Sacanagem... Elas podem! Já mostram tudo mesmo nas escolas de samba e nas revistas.
         Em primeira mão! A periquita da namorada do Belo. Essa nem a Playboy mostrou!!!

Não é exagero! Juro! É uma coisa que beira o absurdo! Elas andam e a “polpa” da bunda aparece! É uma necessidade muito grande de aparecer, chamar atenção, coisa bem típica da juventude, eu sei... Décadas a fora os adolescentes sempre usam a moda, a música, para chamar a atenção para alguma coisa. Mas essas saias, só chamam a atenção para a PERIQUITA!!! Lá vou eu, de novo falar sobre periquita... Não, não vou, vou aproveitar e puxar meu famoso gancho de periquita, para atitude... Aham, tudo haver! Periquitas unidas podem mudar o mundo! Periquitas e pintinhos unidos, jamais serão vencidos!

Tudo tem um motivo... Fiquei aqui matutando com meus botões. Alguma coisa por trás dessa alienação deve está sendo enviada a sociedade. A juventude sempre se comunica assim, por comportamento em massa, de uma forma inconsciente, um modo que eles encontram de se tornar visível para a sociedade. No caso dessa moda de “MOSTRE A PIRIQUITA E SEJA VISÍVEL” ainda não captei, mas penso que a juventude já naturalizou esse padrão de culto ao corpo, do exagero de sensualidade e sexualidade que eles visualizam e absorvem, através da mídia e da própria sociedade.

                                                                     Salve a natureza!!!

Eu acho que falta alguma coisa na juventude atual, projetos, visibilidade, educação dos pais e dos governantes que, queridos, ESTÃO CAGANDO E ANDANDO SE AS ADOLESCENTES ESTÃO MOSTRANDO A PERIQUITA, A PAPAGAIA OU O URUCU, digo, urubu,(rs), eles querem mais é que o futuro seja repleto de alienados e pessoas desinteressadas por política, que esqueçam todas as merdas que eles fazem e votem e reelejam os mesmos filhos da puta (olha que as putas são dignas, pois ganham dando, vendendo, o que é delas e não dos outros) podendo ser de mini saia, calcinha ou pelada, não importa...
Não só a juventude, como a própria sociedade, anda muito alienada... Ninguém quer saber, ninguém quer questionar, ninguém quer brigar. Criou-se uma preguiça coletiva que dá raiva! As pessoas andam com preguiça de pensar, querem apenas que alguém decida por elas e que a novela das oito, que começa as nove, tenha bastante baixaria, sexo e quiçá uma leve porradinha, assim o assunto do dia seguinte fica mais interessante... Quando vai começar o BIG BROTHER mesmo?