sábado, 26 de fevereiro de 2011

Amor de Carnaval - Parte I

Carnaval...  Época em que a raça humana, especialmente os machos da espécie, dá vazão a seu lado primitivo, natural e animalesco. Dentre tantas demonstrações selvagens exibidas no carnaval, o macho tenta exibir-se para a fêmea em idade acasalar, ou não, assim como não necessariamente só as fêmeas da espécie, se é que você me entende...

É um festival de homens (ou não) sem camisa, exibindo as horas de academia, levantamento de peso e “bombas” tomadas. Nesse meio lá estava José Henrique, sem camisa, quase fazendo a dança do acasalamento para as fêmeas que passavam por ele no bloco. Seu projeto de um ano inteiro para o carnaval: Ficar “forte” e “pegar” geral.

Mas algo estava errado... Tanto esforço não surtia efeito esperado. Só algumas “coroas” e mulheres de “simpatia exagerada” davam sorrizinhos mal intencionados. Dizia algo errado? Não estaria forte o suficiente?

Segundo dia de carnaval e nenhuma gata a seus pés... Isso era mal! Foi quando avistou aquele homem grande, forte, cabelo raspado e tatuagens pelo corpo. Ele não cantava as mulheres, elas que babavam por ele. Na verdade, José Henrique avistou seu ideal no carnaval, queria ser aquele cara... Aproximou-se e disse:

- Legal essas tattoos!
-Ah! Você gostou? Se quiser te dou o telefone do tatuador que fez.
-Ah, cara! Eu acho legal, mas não sei se tenho coragem de fazer...
-Pois você devia fazer... Malhou para caramba, um rabisco ai ficaria legal!
-Você acha?
José Henrique perguntou isso se alisando, se amava, se achava lindo. Como poderia nenhuma mulher querer alisar aquele corpo? Era um cara bom coração, esperto, carinhoso. No fundo mesmo, queria se apaixonar.
-Prazer cara! Meu nome é José Henrique ou como a galera me chama JH.
-Fala cara! Meu nome é Max.
-Max? Apelido?
-É cara... Meu nome é grande, meus pais viajaram, Maximiliano.

Os dois apertam as mãos fortemente. Ficam por ali conversando, trocam telefone, Orkut, MSN e combinam de ir para o próximo bloco de carnaval juntos...

Nasce uma amizade de carnaval...

Continua...

3 comentários:

el xamã disse...

Me desculpe mais tenho a leve impressão que isto vai terminar em viadagem!?

Anônimo disse...

Fabi... tua criatividade é incrível.
Aguardo segunda parte.

Abraço.
Rafael Rosa
http://pensesequizer.blogspot.com

Jaime Guimarães disse...

"Época em que a raça humana, especialmente os machos da espécie, dá vazão a seu lado primitivo, natural e animalesco."

Mas só nozis? Que injustiça...hahaha! Carnaval quase todo mundo "se libera" rsrsrs

Da segunda e última vez que fui ao carnaval das cordas e trios aqui em Salvador, um cara colou ao meu lado e ficou querendo saber onde eu morava, se tinha MSN, essas coisas. Inventei um nome falso, um bairro bem longe de onde moro e fui atrás de uma cerveja. Amizade de carnaval com os mano? No way!