quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Sexo casual

O combinado era esse: Sexo casual, nada a mais... Mas quando Elenice apareceu na porta que se abria, sabia que não seria só casualidade. Era uma mulher linda, cabelos longos, olhar devorador que lhe cortava todas as convicções anti-paixão que defendia.
Mesmo na escuridão do corredor do motel, pode perceber o sobretudo jeans escuro salientando as curvas exorbitantes da moça e com vigor de um adolescente imaginava o que poderia ter por debaixo da sóbria peça de roupa...

-Posso entrar? Ou vai ficar ai só olhando da porta...
Disse Elenice, com uma voz tão sexy quanto seu olhar.
O pensamento de Enzo estava tão distante que ele demorou alguns segundos para responder. Aliás, ele não respondeu, fez um sinal com a cabeça equivalente a um sim e saiu da frente da porta. A moça entrou, o cheiro que exalava era totalmente excitante e o ritmo dos seus passos combinou com as batidas do coração de Enzo: tum, tum, tum, tum...

Ela se virou, encostou levemente em uma pequena mesa que havia no recinto e olharam-se sem ação por um minuto. Apesar do ar fatal de Elenice ela permanecia imóvel. Planejava algo, era visível seu ar de satisfação com um boquiaberto a sua frente. Então, sem tirar os olhos de Enzo, abriu lentamente o sobretudo revelando uma sexy lingerie preta de renda. O sobretudo caiu no chão, Elenice anda lentamente em direção a Enzo, aproxima-se, toca no seu cabelo, seu rosto, sua boca, desce as mãos colocando-a dentro da calça dele, pega com firmeza  no sexo ereto e diz:
- Ta tão paradão ai, que pensei não estar te agradando... Mas acho que já fiz efeito...

Dito isso, dá uma risadinha sacana, se afasta, senta na mesa, abre as pernas e faz com o dedo indicador um sinal de “vem”. Enzo a atende prontamente, beijando com muita vontade a boca de Elenice...              

******
Era um homem desarmado... Estirado na cama olhava para Elenice que o beijava carinhosamente pelo rosto. Ela dizia sussurrando o quanto tinha sido bom e que realmente ele era muito bom de cama. Enzo queria ficar com ela, não pensava mais nada, a abraçou e disse:
-Tô apaixonado! Quero você!
Elenice o olhou muito seriamente, se desvencilhou do abraço, levantou-se e começou a se arrumar, sem dar uma palavra. Enzo não entendeu nada, apenas falou:
-Que foi? O que eu fiz? Fica mais um pouco... Te levo em casa!
Simplesmente ela o olhou e disse:
-Foi você mesmo que antes me implorou casualidade... Só estou fazendo o combinado!
-Então sou eu que te pergunto agora: Diz que você nunca pensou em mim. Que nunca quis ficar comigo? Que eu juro, se você disse que não eu nunca mais te procuro, te deixo em paz...
Ela olhou no fundo dos olhos dele, respirou profundamente e nada respondeu... Apenas deu as costas e foi embora...

Continua... Sob uma outra narrativa. 

Siga-me no Twitter: http://twitter.com/#!/FabiFolly

3 comentários:

Sra Silvia Wayne disse...

Realmente Enzo...
Era só para ser casual,e mesmo que vc quisesse ir mais além,até poderia,mas não é pq já transaram que vc poderia ter ido tão rápido...aiaiai

Certo agora falando pra vc Desbocada...amo suas estorias,não pq apenas são boas,mas pq vc aborda os assuntos de maneira clara e direta,sem medo do que vai dizer...Vc é d+
Beijos

Sylvio de Alencar. disse...

Legal!

Bjs!

Jaime Guimarães disse...

Ele quebrou o trato. Alguém iria quebrar o trato. Por isso muitas vezes o sexo casual não fica na mera casualidade.

Vou ler a segunda parte.