domingo, 16 de janeiro de 2011

Nalu e Manu


Levantou a cabeça e se deparou com aquele olhar provocador... Era um olhar que lhe despia, acelerava seu coração... Ninguém a fez sentir isso, nenhum homem... Mas aquela mulher mexia demais com seu íntimo, era uma mistura de tesão, paixão, curiosidade.

Nunca havia estado com uma mulher no sentido atrativo da palavra e aquela altura do campeonato não se imaginava nessa situação. Mas quando não cruzou o caminho com aquela que mexia com sua imaginação, logo o arrependimento de não ter retribuído os olhares de uma forma mais intensa tomou-lhe os pensamentos.

Pensava que talvez tivesse adiantada demais ou atrasada... Sem perceber parou no meio do caminho. Ao levantar o olhar viu aquela mulher mignon, loira, cabelos curtos e um jeito de se vestir que oscilava entre masculino e sensual... Era ela! O coração acelerou... A mulher aproxima-se e fala:
-Perdeu a condução?
Ana Luiza dá uma tímida resposta:
-Não... É que... Sim perdi!
-Eu também! Me atrasei hoje... Agora vai demorar. Acho que só daqui à uma hora! Ta esperando alguém?
-Não...
-Meu nome é Manuela, e o seu?
-Ana Luiza. Mas me chamam de Nalu. É apelido sabe...
-Hummmm que legal! Nalu e Manu...

As duas se olham e riem. Manu faz a proposta:
-Que beber alguma coisa enquanto esperamos?
-Sim! Melhor do que ficar aqui sem fazer nada... Mas só uma hora até vir o próximo ônibus, ok?
-Claro!

Duas horas se passaram e lá estavam as duas rindo alto em um barzinho próximo a rodoviária... Já era tarde, mas não viam o tempo passar. Ana Luiza nunca se divertiu tanto e sentia-se completamente atraída por Manuela. Em certa altura Manu pergunta:
-Você tem namorado?
-Não...
-Então, tem namorada?
-Hã?
Manu ri, vê que Ana Luiza nunca havia estado com uma mulher e disfarça:
-É que você é linda, simpática... Difícil alguém como você ficar sozinha.
-Ah! Imagina... Terminei um namoro há pouco tempo...
-Entendo... Mas ainda gosta da pessoa?
- Não...Não sei... Acho que não mais...
-Era homem?
Ana Luiza ri! Fica vermelha e faz sinal de sim com a cabeça.
-Hã ram...
-Escuta linda, mesmo não querendo isso agora, acho que, precisamos ir... Senão não conseguimos chegar em casa. A não ser que você queira dormir por aqui, comigo...

Manuela passa as mãos no cabelo de Ana Luiza, segurando logo em seguida na sua mão. Ana Luiza a olha e sente o corpo pegando fogo. Esquecem onde estão e aproximam-se quase em um beijo. Mas param e se deparam com o único bêbado que estava no bar olhando fixamente para as duas, acompanhando como que em uma novela, ele diz:
- Podem continuar... Finjam que não estou aqui!
As duas riem, pagam a conta e vão embora... Não era dia de voltar para casa...

************* Continua...

4 comentários:

Marcelo A. disse...

Uahahhahaaaa!!!

Desculpa, o conto tá bacanérrimo, mas a parte do bebum olhando pra duas foi hilária.

Gostei do tema e não vejo o porquê de alguém falar algo a respeito. Escrevi tanto sobre no blog e se depender disso pra falarem de mim, f****!

Mas sinceramente? A história de Malu e Nalu não pode parar por aqui. Merece uma continuação. E histórias de mulheres se pegando mexem comigo. Com todos os homens, aliás.

Parabéns, garota!

Beijão!

:*

Jaime Guimarães disse...

o conto tá bacanérrimo, mas a parte do bebum olhando pra duas foi hilária. (2)

De qualquer forma, bebuns não se lembram do que viram no dia seguinte rsrs.

Mas certamente Nalu e Manu se lembrarão de muitas coisas em cenas que acompanharemos nos próximos capítulos. E como o Marceleza afirmou, duas mulheres "se pegando" faz parte das fantasias de todos os barbados...

Complemente-se com a bela imagem para ilustrar o conto...

Bj

Sra Silvia Wayne disse...

KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
A do bebado foi d+
Adoro os temas polemicos q vc escreve,mas adoro mesmo o como vc escreve...
Beijos
Estou esperando mais texto heim

Anônimo disse...

Você é um doce escrevendo... envolve e meche com a imaginação do leitor.
Grande abraço