terça-feira, 23 de novembro de 2010

Despudorados II (só leia se for um... Ou não...)

Léo. Foi o que foi dito, um simples apelido. E para que mais? Nenhuma intimidade, a não ser a necessária para a satisfação do trio.
Pelo retrovisor Karina observa Léo. Pode ver o olhar devorante do homem nela. Um silêncio desconfortante invadiu o carro. Ricardo, sempre muito comunicativo, quebra o gelo:
-Léo, você sabe qual motel pode entrar dois homens e uma mulher? Ou então, vai ter que se abaixar ai atrás.
-Me abaixo, cara! Sem problemas... To acostumado!
Riram, o clima foi ficando mais leve e descontraído. Ricardo despreocupadamente fala, dando um risinho sem vergonha pelo canto da boca:
-Karina, meu amor, você quer pular para o banco de trás? Afinal, não podemos ser mal-educados com nossa visita...
Léo também riu, gostou da ideia e Karina pelo espaço dos dois bancos da frente passou, sentando ao lado do desconhecido que a puxou pela cintura em direção ao colo dele.
-Fica pertinho!
Disse isso sussurrando já com uma das mãos no meio das pernas de Karina. Ela se assusta com a rapidez do homem, mas ao mesmo tempo gosta, sente-se atraída por ele, que fala novamente:
-Ficou molhadinha... Que delicia! Me beija?
E com a outra mão aperta e faz uma leve força na nunca de Karina em direção a boca dele, ela quer beijá-lo, mas pensa em Ricardo, o que deve estar pensando? Afinal, ela até então, nunca fez tal coisa... Recusa o beijo, olha o reflexo de Ricardo pelo retrovisor, que parecia aprovar a situação. A voz disse decididamente:
-Beija! Quero ver...
Karina levanta um pouco, abre as pernas, senta no colo do sujeito novamente e beija o desconhecido, que já levanta seu vestido exibindo a pequena calcinha preta para Ricardo...

No motel, Ricardo afasta-se um pouco, deixando Léo e Karina “mais a vontade”.
Ao observar atentamente a cena que se segue, vê Karina cochichando algo com Léo, mas não pergunta o que falaram, apenas sente um enorme desejo de passar de espectador para participante. Aproxima-se e de bem pertinho observa Karina fazer sexo oral em Léo. Karina olha Ricardo profundamente, o beija com boca de puro sexo e Léo oferece a Ricardo a ação que Karina fazia nele... A noite foi bem longa...

Se Ricardo e Karina ainda estão juntos? Claro que sim! Casados e felizes. Karina tem um relacionamento que pode variar sempre, com a aprovação do seu agora marido. E Ricardo tem uma mulher maravilhosa, que realiza todos os seus desejos...
Felizes para sempre!
E quem pode criticar? Cada um é feliz a sua maneira...
The end.

De médico, louco e voyeur todos têm um pouco. No twitter: http://twitter.com/#!/A_desbocada

OBS: Por motivos pessoais, esse será o último conto erótico que escrevo. Sei que perderei uns três leitores assíduos, mas continuarei escrevendo contos sobre nos, criaturas frágeis humanas.

Um comentário:

Jaime Guimarães disse...

Eu já imaginava mesmo que tudo terminaria numa cama de motel e com um ménage. Só não esperava que o rapaz apreciasse a arte do felatio, como direi, masculino.

Mas é isso: cada um é feliz à sua maneira. Tem muita prática por aí que deixaria um conservador tacanho como este quem vos fala de queixo caído...rs

Bj, Fabi!

PS: acho uma sacanagem (trocadilho?) você não escrever mais os contos eróticos. Na verdade acho que continuará escrevendo, não publicando-os aqui. Mas de vez em quando, fique à vontade, bem à vontade rsrs