quarta-feira, 14 de julho de 2010

Meia-calça



Enquanto esperava no saguão do prédio onde trabalhava, pensava na vida e nessas coisas que passam na cabeça quando estamos sem fazer nada. Acendeu um cigarro e viu o tempo passar. De repente o mundo parou e nada mais via a seu redor, só aquela mulher passando. Na verdade só aquela meia-calça passando... Era maravilhosa, acizentada, simples e muito sexy. Para outro qualquer apenas um apetrecho feminino, para ele A MEIA CALÇA! E por aquela simples meia-calça, naquela noite, se masturbou ardentemente...

Cigarro na mão, deitado na cama, pensava no seu fetiche. A primeira lembrança que vinha a cabeça era de sua falecida mãe colocando uma meia 7/8. Foi a imagem mais bonita que já vira e foi a imagem que guardou na sua memória infantil. Descobriu anos depois que a mãe era uma prostituta e por isso usava meias de todos os tipos, constantemente. Mas ele não guardou mágoas por isso, tampouco raiva de meia-calça, ao contrário, passou a adorar tal acessório feminino.

Uma amiga de trabalho, Natália, sempre muito interessada em José Carlos, nunca conseguiu a atenção do adorador secreto de meia-calça. A bela loira, sempre bem arrumada e produzida, não conseguia a atenção de José Carlos nem se passasse nua na frente dele. Pensava ela:
-Porra, esse cara é viado!

Ironia do destino, manhã de inverno, Natália vai ao trabalho de meia-calça. Já havia desistido da paquera platônica, e eis que sobe ao elevador com José Carlos. O homem ficou doido! E ela que já desejava, se insinuou. Marcaram um jantar, José Carlos diz:
- Vá de meia-calça...

O jantar foi rápido, o desejo era muito. Ela vestia 7/8, realizava seu ardente desejo de sexo com o misterioso José Carlos, que a penetrava como um animal sedento. A moça não imaginava que na verdade era com sua sexy meia-calça preta que o homem urrava de tesão.

A mulher já estava no banheiro tomando banho, José Carlos ao olhar para o chão  vê a meia-calça jogada. Sentiu uma imensa vontade de cuidar da meia, desenrolou e esticou. Sentiu tesão novamente, o membro voltou a enrijecer, como por um impulso coloca delicadamente o acessório. Olhou-se no espelho e viu a imagem que na verdade sempre desejou. Era isso que ele queria esses anos todos. Fugiu! Levando consigo seu objeto de desejo. O que aconteceu depois é um mistério tão grande, quanto o desejo secreto de José Carlos...

Me add no twitter: http://twitter.com/fabifolly

10 comentários:

Rodrigo Cavaleiro disse...

Juro que tive ódio do ínico, por um motivo pessoal a meia-calça acizentada, quase prateada, traz-me pessimas recordações.

Mas, vai saber, somos todos humanos, e ninguém sabe exatamente o porque nossas individualidades são tão distantes uma da outra. Normalidade não se define, portanto, gostei de quando escreveu MISTÉRIO.

Beijo no pé.
Escrevi coisa nova, visite-me.
E ... manda uma mensagem de texto?
021 9319 1073

..::Gisєlє ::.. disse...

Adorei o blog!
Estou te seguindo... me segue?
Beijooooooos ^.^

caio disse...

Vou definir minha opinião com um palavrão.

FODA!

Foi isso que eu achei, sinceremente, muito muito foda.

Ganhou um seguidor semana passada e parece que um fã. rsrs

Espero não estar errado, por favor mantenha o nível e me ajude a confirmar isso

Fabiana Folly disse...

Isso mesmo? O Rodrigo deixou no comentário o celular dele? Ahahahaha!!! Que doido!

Jaime Guimarães disse...

Fabi, as suas influências rodrigueanas saltaram neste conto e com um desfecho muito bom mesmo! Muito inspirada!

Daqui a pouco você vai começar a vasculhar os "recônditos da alma humana ( citando Dostoievski rs)e seus fetiches". Uau!

Gostei bastante! Parabéns!

.Mari. disse...

Fabiii do céu! Mulher, quanta criatividade! ADOREI, estou sem palavras! E imaginando aqui os possíveis desfechos dessa história inusitada! Aliás, que bela deixa hein! Bacana isso de deixar a imaginação do leitor ativa, a pensar numa continuação, ou várias! Me desculpe por passar tão pouco por aqui, seus textos são ótimos! =) Sempre que possível, estarei de volta! Beijões!

Eu não tenho conserto disse...

"que a penetrava como um animal sedento" (ai... ai... e meu namorado que ta tão longe agora...)

juro que achei que fosse trecho de algum conto.. Parabéns!

seguindo!

bjissimosssssssss

Eu não tenho conserto disse...

"que a penetrava como um animal sedento" (ai... ai... e meu namorado que ta tão longe agora...)

juro que achei que fosse trecho de algum conto.. Parabéns!

seguindo!

bjissimosssssssss

Marcelo A. disse...

Nossa... já sentiu vontade de ter escrito certo texto? Pois é, foi isso o que senti quando li o seu. Foda, foda, foda. E imaginando os mais inusitados desfechos, inclusive, José Carlos desenrolando a meia pela perna...

Beijão!

Luilton disse...

Nunca mais olharei igual, pra meus amigos que acham a meia-calça sexy.

Abraço, @AnonimoFamoso. :)