quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

O velho do ovo grande


Era domingo, três horas da tarde. Queria muito fazer um bolo (sim, eu faço bolo!), o mercado do bairro já estava fechado e a única alternativa era recorrer a uma vendinha que tem aqui na ladeira onde moro, de um senhor, bem senhor mesmo, velho, pra ser mais direta.

Nesse dia fui sozinha e cheguei lá perguntando se tinha ovo. O velho, muito feliz com minha pergunta, levanta de sua cadeirinha, nos movimentos de uma pessoa velha e já vai recitando palavras que não dão para entender muito bem... Aproximo-me dos ovos expostos no balcão da vendinha e começo a entender suas palavras, ele fala dos seus ovos, em como são grandes e nenhuma outra pessoa tem ovos grandes como os dele. Olha gente... É um discurso bem estranho e dá uma vontade de rir imensa. Sai de lá com a impressão que o velho é um tremendo de um safadão mesmo, que essa história do ovo é uma espécie de autoafirmação e tudo mais...

Um bom tempo depois, já sabendo das histórias, meu (agora ex... retificando) namorado prontificou-se em ir a tal vendinha, pois queríamos comer pão com ovo (adoro pão com ovo!). A verdade é que também queríamos averiguar se a história do “meus ovos grandes” iria se repetir com um barbado de 1,90 cm de altura e cara de poucos amigos... Ele voltou rindo, com os ovos grandes do velho na mão. Sim, o velho repetiu a história dos seus ovos grandes e como ninguém tem ovos tão grandes como os dele. Rimos bastante da história, mas ainda faltava um dia ir os dois juntos.
Tempos depois, ele (meu ex) precisava comprar cigarro. Fomos à vendinha, os dois juntos. Eu, lógico, aproveitei e comprei meia dúzia de ovos só para ver o que ele diria com os dois juntos. E sabe o que ele falou? Falou assim:

- Meus ovos são grandes! Só vendo ovos grandes, aqui na redondeza ninguém tem ovos tão grandes como os meus.

Segurei o riso. Estava ficando vermelha de tanto segurar o riso. Ele (meu ex) já ria, discretamente, acendendo o cigarro. Concluímos que se tratava mesmo de autoafirmação com seus ovos, um pouco do esquecimento da velhice e que seus ovos são realmente grandes.

Agora, aqui em casa, toda vez que precisamos ir à vendinha usamos o termo: “Vou lá no velho do ovo!” E toda vez que se compra ovos com ele já sabemos o quanto são grandes e que ninguém da redondeza tem ovos tão grandes quanto os dele.
O velho do ovo.

Lacrou!