terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Calcinha do Ano Novo.






Todo fim de ano é a mesma coisa! O povo parece que fica em outra atmosfera, outro mundo. Não sei se é a comida, a bebida ou sei lá, psicológico mesmo. Acho que a culpa é das passas! Aquela porrinha preta que fica lá no meio de tudo: arroz, maionese, peru, pernil, farofa... É um festival de passas que PQP, tenho quase certeza que o povo fica assim por causa das PASSAS!!!!

Tendo comido muitas passas ou não, só sei que eu, logo eu, acabei entrando nessa dança. Lá estava na loja, dessas da musiquinha chiclete de fim de ano, “Já é Natal na...”, enfim, lá estava na convicção de comprar uma CALCINHA e seguir minha tradição mais pessoal: A cor da calcinha tem que ser correspondente ao meu maior desejo para 2012 (pode rir, mas também tenho minhas manias!). Então, imagine você, que calcinha rosa é amor, vermelho casamento, amarelo riqueza, verde esperança e por ai vai... Ri sozinha quando tentei lembrar a cor da calcinha que passei 2010 para 2011. – CASSETE! Deve ter sido branca, que “a coisa” foi de uma “paz”, sem tamanho!!!
Lá estava eu, de um lado calcinha rosa e do outro, calcinha amarela... Minha mente borbulha e até nessa medíocre hora passo a filosofar com meus botões! A beleza do amor ou o conforto da riqueza? De novo rindo sozinha... E como cantei um foda-se para o que pensam de mim, falo sozinha também:
- Que merda! O amor só me fodeu e a riqueza foge de mim igual ao Diabo da cruz! Então, comprarei a amarela e o amor que vá pra PUTA QUE PARIU!
Coloco a calcinha rosa no lugar e caminho em direção ao caixa, o coração aperta... Paro, olho para a amarela, viro e olho a calcinha rosa no cabide da loja. Momento novela. Volto. ­
- Que dúvida cruel!!! Não posso ser hipócrita, quem é que não sente falta de amor?
Sem perceber, algumas pessoas passam a prestar atenção em mim, falando sozinha com duas calcinhas na mão. Decido pela rosa, mas rapidamente mudo de opinião. Coloco as duas no lugar e fico com a mão no queixo, pensando, pensando... Não imagino quanto tempo fiquei nesse dilema. Até que, alguma alma feminina, que talvez tenha se identificado com meu dilema, vem ao meu auxilio:
- Do outro lado, tem uma calcinha amarela com coraçãozinhos rosa...
Minha face se ilumina e abro um sorriso. Agradeço freneticamente e vou em direção a solução do meu dilema e vejo a junção dos meus desejos!
-É ela! Minha!
Saio da loja “feliz da vida”, como se a compra de uma simples calcinha fosse a solução dos meus problemas, carências e divagações. A CULPA DISSO TUDO É DAS PASSAS!!!

Feliz ano novo, gente! Que nossas vidas sejam repletas de amor, saúde, riquezas, casamentos felizes, esperanças e paz! Sem ter que usar calcinhas coloridas para isso...

Obrigado a todos os amigos que passaram aqui, no meu humilde blog, nesse ano de 2011! Desculpa minha ausência em alguns blogs e comentários, minha vida virtual foi bem conturbada, mas espero (calcinha verde, esperança!) que em 2012 tudo se resolva! Beijos!



quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Sobre intimidade, família e Natal.


 O que você faz quando ninguém te vê fazendo?
Ou o que você queria fazer se ninguém podesse te ver...

Intimidade é uma merda, né? Pensa bem, o ser humano como ele é, sem as máscaras que usamos normalmente no dia-a-dia para os “não íntimos”.
Estava aqui pensando outro dia, enquanto tomava banho e fechei a porta, sem trancar, e der repente entra minha mãe no banheiro, senta no vaso sanitário, dizendo que estava apertada, com a papagaia nos ombros, (cena bizarra, mas real, temos uma papagaia) justifica-se dizendo:
 – É apenas xixi...
Seguidos de leves peidinhos, daqueles sabe “da pressão”? Rs... Eu fiquei sem ação e reclamei:
-Porra mãe? Tá de sacanagem?
Logo em seguida entra minha filha, chamando a avó... E eu lá, pelada, já sem ação! E como o Shiryu (cachorro), vai seguindo Bárbara (minha filha) pela casa, logo coloca o cabeção no banheiro... Gritei:
-Caraca! Quem falta agora? O Papa? Barak Obama?  Chama os Power Rangers! Mais alguém vai entrar nesse banheiro agora? Preciso me preparar...

Pois é, caros amigos leitores, coisas do dia-a-dia e intimidade de uma família. Ainda acho que a pior intimidade é entre marido e mulher... Já fui casada (sim, fui) e sei bem o que é... Aquela magia toda, mistério e paixão do inicio e a intimidade dos anos, não são fáceis de lidar, quem já foi ou é casado sabe bem disso.

Na época de casada ficava muito preocupada com isso. Essa coisa que a televisão, cinema mostra do romântico banho a dois, depois de um dia inteiro de trabalho é uma MENTIRA cabeluda! Eu nunca gostei de alguém comigo no banheiro depois de um dia inteiro de trabalho! Porra quero fazer minhas coisas sozinhas, sabe? Tem coisa mais íntima e pessoal do que tomar banho e lavar “as coisas” direitinho? É lavar a piriquita (ela de novo, sempre presente no meu blog) lavar o “fiofilho de carvalho (vulgo cu)”? Eu sinceramente não julgo romântico e misterioso lavar o cu, naquela pose nada sexy, na frente do marido ou esposa, mas cada um com seu cada um...

     Tudo juntinho no amor é romântico...

E falando sobre intimidade e família, lembrei que o Natal já é daqui a três dias (isso dependendo do dia que você está lendo esse BELÍSSIMO texto, muito instrutivo). Eu cai na real quando minha mãe fez lentilha, o jornal da tarde não para de mostrar o SAARA (Centro de comercio popular, aqui no Rio de janeiro), os Shoppings estão abarrotados de gente e a Líder Magazine fica tocando incessantemente na televisão aquela musiquinha chiclete: Já é Natal na Líder Magazine ...

Alou gente! Para tudo! Natal é isso? Acho eu, e olha não tenho religião, que Natal é outra coisa...

Pensei que fosse a comemoração do nascimento de Jesus, aquele grande homem que morreu pregando o amor e respeito pelo próximo.  Amor e respeito ao próximo? Sinceramente, não é bem isso que percebo há alguns Natais da minha vida. O povo gasta horrores, o comércio e o Capitalismo engordam seus bolsos e Jesus que é bom, nada... Virou uma grande festa, que o povo ganha presentes, come horrores e outros passam fome. É gente, Feliz Natal!

                                             Espirito Natalino segundo comerciantes...

Não sei se volto até o “Ano novo”, vou pensar, to meio revoltada da vida, cansada de internet, do povo alienado e sei lá, não sei, tô de TPM... Vou pintar o cabelo de azul, parar com a dieta e que se foda os padrões dessa sociedade ridícula! Feliz Ano Novo! Fui...

domingo, 11 de dezembro de 2011

Mini saia, juventude e alienação

Thuthucas de mini saia...

Fico impressionada com o tamanho das saias, vestidos atuais... Sem exagero, parecem mais blusas um pouco mais longas, bem apertadinhas no corpo, do tipo que se levantar um pouco mais a perna, a calcinha fica à mostra (isso se, estiver de calcinha, oi? Sério...). Virou moda agora mostrar a “piriquita” na rua, afinal, né? O que faltava mais mostrar? Rs... Tá, não sou nenhuma santinha, gosto de saia curta e também já fui adolescente, mas esses vestidos são do tipo MUITO DESCONFORTÁVEIS, nem se eu fosse a atual ou ex namorada do Belo, teria coragem de usar! Sacanagem... Elas podem! Já mostram tudo mesmo nas escolas de samba e nas revistas.
         Em primeira mão! A periquita da namorada do Belo. Essa nem a Playboy mostrou!!!

Não é exagero! Juro! É uma coisa que beira o absurdo! Elas andam e a “polpa” da bunda aparece! É uma necessidade muito grande de aparecer, chamar atenção, coisa bem típica da juventude, eu sei... Décadas a fora os adolescentes sempre usam a moda, a música, para chamar a atenção para alguma coisa. Mas essas saias, só chamam a atenção para a PERIQUITA!!! Lá vou eu, de novo falar sobre periquita... Não, não vou, vou aproveitar e puxar meu famoso gancho de periquita, para atitude... Aham, tudo haver! Periquitas unidas podem mudar o mundo! Periquitas e pintinhos unidos, jamais serão vencidos!

Tudo tem um motivo... Fiquei aqui matutando com meus botões. Alguma coisa por trás dessa alienação deve está sendo enviada a sociedade. A juventude sempre se comunica assim, por comportamento em massa, de uma forma inconsciente, um modo que eles encontram de se tornar visível para a sociedade. No caso dessa moda de “MOSTRE A PIRIQUITA E SEJA VISÍVEL” ainda não captei, mas penso que a juventude já naturalizou esse padrão de culto ao corpo, do exagero de sensualidade e sexualidade que eles visualizam e absorvem, através da mídia e da própria sociedade.

                                                                     Salve a natureza!!!

Eu acho que falta alguma coisa na juventude atual, projetos, visibilidade, educação dos pais e dos governantes que, queridos, ESTÃO CAGANDO E ANDANDO SE AS ADOLESCENTES ESTÃO MOSTRANDO A PERIQUITA, A PAPAGAIA OU O URUCU, digo, urubu,(rs), eles querem mais é que o futuro seja repleto de alienados e pessoas desinteressadas por política, que esqueçam todas as merdas que eles fazem e votem e reelejam os mesmos filhos da puta (olha que as putas são dignas, pois ganham dando, vendendo, o que é delas e não dos outros) podendo ser de mini saia, calcinha ou pelada, não importa...
Não só a juventude, como a própria sociedade, anda muito alienada... Ninguém quer saber, ninguém quer questionar, ninguém quer brigar. Criou-se uma preguiça coletiva que dá raiva! As pessoas andam com preguiça de pensar, querem apenas que alguém decida por elas e que a novela das oito, que começa as nove, tenha bastante baixaria, sexo e quiçá uma leve porradinha, assim o assunto do dia seguinte fica mais interessante... Quando vai começar o BIG BROTHER mesmo?

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Sobre pinto pequeno, Zezé de Camargo/Luciano e cultura cega

                                                       Quatro... Quatro centimetros...

Há algum tempo atrás o Sr famoso, galã, Henrique Iglesias, declarou que seu órgão reprodutor (também conhecido como pinto, pintinho, bilau, Zé, Bráulio, rola, menino, cassete ou vulgarmente chamado caralho) era pitititinho (Ahahahahaha!!!) Sim, o bonitão declarou há algum tempo atrás que seu pênis é pequeno. Ora, é muita falta de marketing, né não? Ele poderia ter ficado calado, sei lá... Desnessesário.Será que é genético? Rs... E vamos combinar, o cara é lindo, maravilhoso...


Olha essa coisa de tamanho é muito masculina... Homem se liga muito nisso. Nós mulheres não somos tão ligadas assim em tamanho, lógico que um que não faça nem bilu, bilu, não rola. Mas um grande que só sabe machucar e passa longe de satisfação e prazer, também não agrada a mulherada.

Então, você que ta ai, preocupado com o tamanho do seu “bilau”, relaxa... Se for pequeno “trabalhe bem” com outras “armas” e proporcione prazer de dez mil formas diferentes. Se for grande, não se gabe muito, isso não quer dizer nada. Tome cuidado para não machucar e não deixe de fazer outras coisas só por que seu pinto e um galo de briga. E se vocês querem saber a verdade, sim, nós mulheres comentamos uma com as outras sobre pintinhos, franguinhos e galos, geralmente sem mencionar nomes (geralmente...)

                                                         É um galo ENORMEEEEEEE!!!

Falando em coisas pequenas, marketing e fofoca lembrei da briga de Zezé de Camargo e Luciano anunciada no jornal nacional na voz de Fátima Bernardes... Eu ri... O povo morrendo nos hospitais públicos por falta de atendimento, assaltos, mortes violentas por falta de segurança pública, a educação em estado de calamidade, nosso país indo cada vez mais para o buraco da diferença social gritante e o povo preocupado se Zezé de Camargo e Luciano vão se separar...  Na boa: VAI TOMAR NO CU!!!  Uma semana depois os dois aparecem com cara de ontem, em rede Nacional, dando explicações da briga... Gente será que se banalizaram de vez todos os problemas sociais em que vivemos?

                               Ninguém concluiu melhor do que ele.E olha, não sou nenhuma fã...

Longe de ser pragmática, puritana e politicamente correta. Esses adjetivos passavam longe da minha pessoa, tanto que gosto de falar as verdades dessa forma aqui, que todos vocês conhecem, ou estão conhecendo. Irrita-me profundamente essa questão, que não só a política faz, mas a mídia também, de introduzir na população essa cultura cega, mesquinha, que veda os olhos e manipula opiniões como se fossem lixo descartável, deixando as pessoas sem nenhum caráter critico das coisas que acontecem em nosso país e mesmo no mundo.


Vou parar por aqui... Senão vou escrever sem parar!!! Ainda ia falar da manifestação a respeito dos Royalties do petróleo, mas deixo para o próximo texto...

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Se eu fosse homem


Adoraria conquistar realmente uma mulher...  Pegar nos seus cabelos com admiração, alisar seu rosto com carinho, olhar seus olhos como quem quisesse desvendar todos os seus mistérios e por fim tocar no seu corpo como uma obra de arte rara e preciosa.

Procuraria entender que as mulheres gostam de carinho com pegada, romantismo com atitude e que “nós homens” podemos sem problemas ligar no dia seguinte.

Elogiaria alguma parte do seu corpo, protegê-la-ia nos meus braços, admiraria sua inteligência e quando por algum tipo de machismo primitivo sentiria ciúmes, sem exagero, de outro macho que se aproxima da minha fêmea.

E mesmo dizendo que não entendo as mulheres por que elas não sabem o que querem, amaria e veneraria a mulher que me dá carinho, beijinhos e atenção e que só ela sabe passar a mão no meu cabelo e na minha nuca de um jeito que me deixa arrepiado e me beija com tanto amor, que esqueceria aquele ser misterioso que me deixa, às vezes, com raiva e dúvidas do que realmente quero.

Entre amigos, reclamaria das mulheres, dava aquela coçadinha no saco, um gole na cerveja e sairia correndo para casa, ficar agarradinho debaixo das cobertas naquela noite de frio e faria amor gostoso, dizendo eu te amo ao pé do ouvido, completando que não conseguiria viver sem ela...

É difícil falar meus sentimentos, por que sou muito macho e macho não se emociona, mas faria um esforço para dizer algo que sei que ela quer muito ouvir, que isso a faria feliz e que assim eu a conquistaria cada vez mais.

Mas se eu realmente fosse homem não saberia nada disso. E é essa diferença que apimenta as relações! O gostoso são os mistérios, as discussões e dissabores. Afinal, qual seria a graça se homens e mulheres fossem iguais?

Srª Desbocada é mulher, feminina, machona às vezes, forte, frágil, vaidosa, simples, exagerada, meiga, desastrada, afetuosa, briguenta, inteligente, desligada e concorda com você quando diz que NÃO EXISTE HOMEM ASSIM COMO O DESCRITO NO TEXTO... Mas eu sonho, né? Vai que...

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Fofoca



Era novo no trabalho. Nunca viu aquele homem. Foi muito simpático com os outros inclusive com ela. A voz era firme, grossa e o jeito de andar era de um balanço malandro que chamava-lhe a atenção. Não era um homem bonito, era muito charmoso e tinha jeito de macho, de homem de verdade, diferente dos garotões que trabalhavam por lá.  As mulheres ficaram “ouriçadas” com a novidade masculina no ambiente e um “zum, zum, zum” de risadinhas e fofoquinhas predominou a semana inteira desde que Tomás começou a trabalhar na empresa.

Tomás... Era esse o seu nome. Alguém cochichou isso perto dela. E quando levantou o olhar, o viu passar pelo corredor, andando com aquele gingado que ela desejou ter somente para si. Queria aquele homem, mas não tinha idéia de como fazer isso, não tinha idéia de como se aproximar e de se mostrar. Virou e deu de cara com um enorme espelho que havia no hall da copa, se olhou e tentou imaginar o que de atraente poderia existir nela. Viu uma mulher, bonita, mas com poucas vaidades, sem maquiagem, cabelo preso, óculos e disse para si mesmo:
- Putz... Nenhum homem na face dessa terra vai me querer assim. Preciso tirar isso da cabeça e me concentrar no trabalho.

E quando decidiu não mais pensar em Tomás eis que no apertado elevador Tomás veio de encontro com seu corpo. Foi pele com pele, cheiro com cheiro e... Atração por atração. Sentiu seu corpo todo se arrepiar e se pudesse o beijaria ali mesmo. Viu quando levantou o olhar para ela, deu aquele sorrisinho, seguido de uma piscadinha safada e disse:
-Apertado aqui, né Bianca?
Ele sabia seu nome! Ela não sabia o que responder, a sensação de ouvir seu nome da boca que queria beijar foi extremamente prazerosa:
-Oi? Como?
-Apertado aqui?
-Ah! Sim! É sempre assim...
-Só assim para conseguir falar com você moça. Eu vi aquela campanha que você elaborou do sapato. Muito boa!
-Obrigado. Não sabia que conhecia meu trabalho.
-Sim conheço...
Os dois se olharam sem graça, aquele papinho furado de elevador com várias orelhas prestando atenção sem que nenhuma palavra a mais fosse trocada.

O dia seguinte foi de uma nova Bianca. Ela solou os cabelos, passou uma leve maquiagem e colocou uma roupa mais feminina. Essa mudança e a curta troca de palavras no elevador foi o suficiente para gerar fofocas a respeito de Bianca e Tomás.  O chefe de Bianca a chama na sala dele:
-Dona Bianca gostaria de alertá-la quanto à proibição de relacionamentos no ambiente de trabalho...
-Como? Não entendi...
-Sim, a senhora e o recém contratado do marketing, Tomás... Eu não sei como começou e onde começou, mas informei a quem me disse tal coisa que a senhora e esse senhor não são casados...
-???????????????????????!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Bianca deixa a sala do chefe sem saber se cai na gargalhada ou se chora dando gostinho a quem “discretamente” prestava atenção nela... Então ela dá uma gargalhada estrondosa e vai em direção a Tomás numa mistura de loucura, raiva e pavor. Tomás olha para ela, ela olha para ele e os dois se beijam escandalosamente. Uma espécie de roda da fofoca se forma em torno deles, olhares de desprezo e de confirmação.  Então depois de alguns minutos de beijo caliente Bianca larga Tomás e diz:

-Desculpa... Mas levar fama sem ir para a cama e nesse caso sem nem ao menos beijar, ia me enlouquecer!
-Mas isso pode piorar a situação!
-Piorar? Eu acabei de ser demitida! Sem nem ao menos te beijar...
-Demitida pelo quê? Bianca EU SOU GAY!!!


sexta-feira, 7 de outubro de 2011

O tempo é cruel...


                                                                         Axl Rose

Sabe quando a ficha cai e você se vê com “de repente 30” bem vividos e passados... Então, ontem dia 02/10/2011 cai na real e me vi “velhinha” ao deparar-me no Rock in Rio com um senhor “gordinho”, muito atrasado no horário, descabelado, com uma capa de chuva horrorosa amarelo “tô em marte dá pra ver?” e com várias aplicações de botox que me faziam remeter a imagem (segundo Jaime Guimarães) de Elke Maravilha. Meu mundo caiu! Era o Axl Rose! Aquele Axl magrinho, sem blusa, de shortinho de lycra e cantando MUITO ao lado de Slash e Cia já não existia mais.  Assim como aquela garota de 14 anos que era APAIXONADA pelo mesmo. Ele envelheceu, eu também... O Guns’n Roses acabou, só restam lembranças.
Entenda que o dilema não é só a velhice.  Bandas “de coroas” que ainda atuam (e bem) poderia citar várias. O que me choca é a decadência de Axl, arrastando para um buraco negro o nome “Guns’n Roses”, os músicos que hoje tocam em sua banda e que não são os da formação original e seu grande público. Ontem em frente a uma platéia gigantesca, foi testemunhado o enterro do Guns... E só quem viveu no mínimo há 15 anos sua adolescência vidrada em GNR sabe o que estou falando.

Você tá ai achando que isso é a maior BESTEIRA do mundo. Mas é, confesso... Na Verdade a minha intenção (além de desabafar) era a de puxar um gancho para o assunto da aceitação da idade ou a melhor hora de se parar algo e ficar apenas nos momentos bons, isso valendo não só para profissão, como para várias modalidades de vida, até mesmo relacionamentos. Eu digo aceitação não só da idade, mas de situações. “Velho” pode fazer muita coisa e fazer melhor ainda, já que é experiente, mas quando algo é visivelmente decadente o melhor é parar e seguir outro rumo. A vida continua, não somos Mun-Rá...
Imagina você ai, vidrada em Justien Bieber e daqui a 20 anos se depara com um senhor gordinho, descabelado, sem pique para cantar e nem de perto desenvolver as coreografias a que fazia antes... Então, você também daqui a 20 anos será outra pessoa, muito mais madura, vivida, com um corpo diferente dos seus 15 anos. Por que é tão difícil aceitar a idade e se enquadrar nela da melhor maneira a fim de se tirar um maior proveito? Lição de vida que Ronaldinho fenômeno não aceitou Axl Rose não aceitou e deu no que deu... Aprendeu?

                                                                     O tempo é cruel...

O tempo é cruel, mas se pode tirar proveito disso da melhor forma. Quantas vezes você escutou alguém falar assim: “-Ah, eu queria meu corpinho de 20 anos com a cabeça que tenho hoje.” Acredite, eu já disse isso, várias e várias vezes. É um capricho do tempo, ou você é sábio, maduro e vivido ou você é jovem com ânsia de aprender.  E por mais que eu ou qualquer outra pessoa te diga o que fazer e como fazer por experiência própria e comprovada, o jovem caminhará com as próprias pernas e trilhará seu caminho de aprendizagem sozinho, assim como foi com quem está passando, ou tentando passar, um ensinamento... É a vida!
Desculpem meu momento de reflexão, mas às vezes é preciso.
Eu sou A Srª Desbocada, tenho 30 anos bem vividos e aceitos, sou mãe, filha, ex mulher de alguém, ex namorada, ex modelo, ex adolescente, ex criança e mesmo já não sendo tão jovem comecei uma faculdade agora e o bordão NUNCA É TARDE vem me acompanhando desde então.

domingo, 14 de agosto de 2011

Sobre C*, Sandy e Brasil



Cá estou olhando para esse Word em branco... Ele me encara com tanta cobrança que não sei que faço. Se pela, sei lá, décima vez, vou lá no “xiszinho” e fecho esta merda.  É caros amigos, a Sr. Desbocada anda sem inspiração... E que passei duas semanas bem pesadas, apesar de, terem sido semanas completamente diferentes. Uma cheia de problemas de cunho pessoal e chatíssimos para serem citados aqui e outra que misturou a alegria de entrar na faculdade, ansiedade, problemas, olho grande... SIM OLHO GRANDE! Levei um tombo FEIO na segunda-feira dia 08/08, um dia anterior ao “trote”, me ralei toda, torci o dedão do pé e quase fui no templo evangélico, no centro espírita, na macumba, na igreja católica, tomar uns “passes” para ver se melhorava o negócio, viu? Brabo! Inveja de ex é foda, um c*! Rs...


Falando em c* (acho que o “C” com uma “estrelinha” fica mais chique que escrever CU, assim com todas as letras, qualquer coisa tem o significado lá em baixo se você ai não souber o que é um c*, ok?) não se falou em outra coisa nesse internet de MELDELSDUCEL além da frase que Sandy proferiu na playboy desse mês de agosto  sobre sexo anal e tudo mais... O povo ficou “extasiado”. Ora minha gente, vamos pensar com nossos riquíssimos neurônios e parar de putaria um pouquinho, Sandy é um ser humano como outro qualquer, casada com aquele moço, daquela família musicista, que fica lá enfiando a vara no violino, agora sabemos que na Sandy também. Sandy faz cocô, xixi, solta pum e você ai achando que ela era uma bonequinha? E outra, ela não falaria isso se não ganhasse MUITO dinheiro para tal coisa. Ela não é a garota propaganda daquela cerveja (ruim para caralho, só para constar) Devassa? Pronto minha gente, tá meio explicado, né? Ela não pode ser a garota DEVASSA com imagem da garota fraldinha... É tudo MARKETING! Coisa muito distante para mim, você e todo a população “assalariada” do nosso BRASILZÃO... Alguém te dá milhões para falar sobre sexo anal? No máximo uma cervejinha e você ai contado a porra toda para todo mundo! O salário mínimo que é bom ninguém aumenta né? Mas pagar cerveja para falar de c* todo mundo paga... Eeeeeelahiá!!! Enfim... Papai Xororó (ou seria Xitãozinho? Sei lá!) deve estar todo orgulhosos!


Falando em tombo, em c* e Brasil, lembrei que na terça dia 09 fui ao Hospital Souza Aguiar, para quem não conhece é um hospital público aqui no Rio de Janeiro, que atende emergências. Fui lá ver meu dedão e minhas costas que doía muito. Se quiser assistir um filme de terror e só ir nesse hospital. Para início de conversa um homem gemia e gritava de dor e nem uma cadeira arrumavam para o pobre coitado, ao chegar no setor de ortopedia dei de cara com uma fila imensa, com pessoas com pés inchados, mãos inchadas e um homem com DOIS DEDOS DENTRO DE UM SACO COM GELO esperando há mais de duas horas um atendimento... O médico saiu para atender uma emergência e ninguém dava nenhuma satisfação... Horrorizada dei as costas mancando e fui embora, foda-se!  O que isso tem haver com c* e Brasil? Ainda pergunta? O governo ai metendo no seu (no nosso) c* e você ai todo feliz com a reforma do maracanã para a Copa do mundo. Copa e Olimpíadas terá, com certeza, mas atendimento em hospital público que se foda! O importante são os eventos... Espero de coração que você aí e euzinha aqui nunca mais precise de atendimento em hospital público, aff...
BRASIL, MOSTRA TUA CARA!

Dicionário Sr. Desbocada: C* - O mesmo que CU, orifício entre nádegas que serve primordialmente para expelir secreções, resto de alimentos não aproveitados pelo nosso corpo e também gases fedidos. Posteriormente também usado para fins sexuais e marketeiros no caso da Sandy e políticos no nosso caso. Hã? Por quê? Olha ai a políticada metendo no seu (no nosso) e você nem sentindo nada...
Para quem andava sem inspiração escrevi para caralho...

sábado, 23 de julho de 2011

O coração - Parte 3 - Fim



O telefone toca. Era Saulo. Mariana tenta destratá-lo, mas segue uma frase misteriosa que a principio não entende:
- Você está proibida na minha vida.
-Como? Não entendi...
Saulo ri do outro lado da linha. Mariana emudece, pensa “agora ele irá falar sobre a mulher que estava com ele no hospital”. Saulo continua:
- Nosso último encontro... Bem, senti algo estranho e meu médico disse que me emocionei muito. Estou proibido de fortes emoções...  Você está proibida no cardápio da minha vida...
Mariana não sabe se é verdade ou brincadeira. Ele falou isso rindo, pensa.
-Você está brincando? Não se sentiu bem naquele dia ou seria sua esposa? Está se sentindo culpado? Pode falar Saulo, é melhor falar logo a verdade.
-Hã?
- Obrigado por falar logo, melhor do que ficar me iludindo por uma noite de sexo.
-Desculpa Mary, não sei do que você está falando. Falo sério sobre a proibição de fortes emoções...
Mariana desliga o telefone...

                                                      *       *        *

Alguns meses se passaram... Mariana caminha, arrisca até uma corridinha. Alguém se aproxima em ritmo acelerado e respiração ofegante, Mariana escuta, mas logo balança a cabeça, pensando “não é ele”, já conhecia a respiração de Saulo e aquela com certeza não era dele. E tinha razão, era outro corredor de andar muito rápido e respiração ofegante. Saulo não aparecia por lá desde que tudo acontecera. A vida continua... E continuou.
- Você está bem melhor, correndo e tudo...
Mariana vira-se e vê Saulo caminhando, nunca o vira caminhando. Mas lá estava ele, menos musculoso, um pouco abatido, mas continuava um homem bonito e charmoso. Ela sorri e corre na sua direção.
-Como você está?
-Eu tô muito bem! E antes que você saia correndo quero te chamar para jantar comigo hoje. Quer sair comigo?
-Verdade... Imaturidade a minha, desculpa pelos sumiços! Eu saio com você hoje.
-Até agora não consegui te agradecer direito.

Os dois riem e continuam a caminhar...

Mariana aguarda no restaurante combinado. Saulo aproxima-se acompanhado da mulher que Mariana viu no hospital. Tudo passa pela cabeça de Mariana, desde o motivo que estava ali com sua melhor roupa, seu melhor perfume e o principal seu coração. Mas ele era casado e a mulher vinha linda, maravilhosa e jovem (muito jovem) em sua direção. Mariana decide manter a pose e seguir em frente, afinal era só um jantar de agradecimento, coisa essa de agradecimento, que Mariana dispensava, mas Saulo persistiu e conseguiu.
-Boa noite!
-Boa noite!
Todos sorriem e Mariana se precipita:
-Linda sua esposa Saulo!
Saulo e Giane caem na gargalhada. Mariana fica sem graça e Saulo fala:
-Mariana, gostaria de apresentar minha filha Giane.
Giane ri e completa:
-É um prazer conhecer a mulher que salvou a vida do meu pai!
Uma mistura de desespero, vergonha e arrependimento tomam conta de Mariana. Ela fica muito sem graça e fala:
-Mil perdões, jurava que era esposa de Saulo. Pensava que ele fosse casado. Perdões, mil perdões...
-Meu pai já foi casado... Com minha mãe, mas separam-se há alguns anos...

Os três sentam e conversam animadamente, mas Mariana só pensa em sair correndo daquele lugar e compensar o tempo perdido com Saulo por achar que era casado. Então, como que lendo seus pensamentos Giane diz;
- Bem Mariana, já tinha avisado meu pai, espero que não fique chateada, mas é que tenho uma comemoração de aniversário e terei que sair antes.
- Imagina Giane! Foi ótimo te conhecer! Fique à vontade! Daqui a pouco também tenho que ir embora...
Saulo protesta:
-Ah, não Mariana! Toma mais um chopp comigo e vamos conversar!
Giane despede-se e o papo na mesa segue animado.

-Quer dizer que a senhorita achou que eu fosse casado? Hum... Então foi por isso...
-Achei! Desculpa! Não imaginei que Giane fosse sua filha.
-E agora? O que pretende fazer para se desculpar com minha pessoa?
Dito isso com a cara mais sem vergonha do mundo, Mariana responde:
-Vou recuperar o tempo que perdi.
- Hã?
Mariana tasca lhe um beijo na boca de Saulo, o clima esquenta....
-Melhor pedir a conta, eu também tenho que recuperar muito tempo perdido com você.

 Mariana dá um sorrisinho bem sacana, Saulo pede a conta e Mariana beija Saulo de novo, com muita vontade... O Garçom trás a conta e meio sem graça deixa em cima da mesa, enquanto os dois sentem muita vontade um do outro...
-Mariana eu quero você! Eu quero muito você...
-Se você imaginasse o quanto te quero, sairíamos daqui correndo.
Saulo ri e rapidamente paga a conta, pegando Mariana pelas mãos, beijando-a novamente no meio da rua, encaixando os corpos, apertando-a para junto de si...

Aquela noite o coração de Saulo bateu mais forte sem que nenhum problema atrapalhasse a quente cena de amor que seguiu...

Continua... Na sua imaginação...

segunda-feira, 18 de julho de 2011

Sobre mundo virtual, futuro e Paulo Coelho

Se você ai, como eu, não entende bulhufas da parte técnica desse imenso mundo virtual, seja bem vindo! Eu não faço idéia do que realmente seja esse mundinho tão imenso e desconhecido para nós que apenas usamos a internet para lazer, pesquisas e se relacionar virtualmente com uma gama de pessoas que você nunca imaginaria conhecer se não fosse a SANTA INTERNET! O que diga eu, que tenho esse humilde blog a qual vos falo, perfil no Facebook, twitter e ainda mantenho meu perfil no velho e ultrapassado Orkut, fora o que não lembro...
Tem gente que fica viciada mesmo!!! Tsc...


Há algum tempo atrás meu pai explicava (ele trabalha com a parte técnica) que as páginas, sites e tudo mais que existe ou existiu virtualmente, ficam guardados em algum lugar nesse tal mundinho virtual, ficam soltas no ar, que nada deixa de existir... Que só os hackers sabem “andar” nessa atmosfera virtual e desconhecida. Cara, a principio, achei que meu velho estava meio que viajando na maionese, depois me lembrei de Matrix (aquele filme...)  e depois pirei o cabeção... Minha mente fértil inventou mil viagens e mil filosofias sobre o assunto e cá pensei com meus botões: “Imagina que tudo que você faz virtualmente, escreve, tuita, comenta, posta no blog, fica lá, em algum lugar que daqui a, sei lá, mil anos, alguém resolver ler isso tudo, estudar tudo, como numa garrafa, com uma mensagem dentro, que viajou milhares de quilômetros e depois de séculos foi encontrada...”
Esse usou demais as redes sociais... Coitado!

Bonito isso, né? BONITO PORRA NENHUMA! Imagina as ASNEIRAS que vão ler? Imagina quanto lixo virtual vão ter que jogar fora? Imagina adaptarem nossa língua para o miguxês internetiano (acabei de inventar isso). Quem serão nosso heróis? Quem serão nossos “malvados”? Quem serão as mentes brilhantes, os pensadores, que farão história no nosso século e nos próximos que virão? Felipe Neto e PC Siqueira serão os novos Sócrates e Platão? (CARALHO! PÉSSIMA ESSA!) O REBOLECHION será considerada a música do nosso século? (KKKK...) Vampiros, Harry Potter e outras tantas criaturas mágicas, serão heróis da literatura do século XXI? Não existirão mais livros de história, existirão blogs de história, vlogs de Literatura e twittcans de biologia... SOCORRO!!! Se existe reencarnação, eu não quero mais voltar!!!

Quem conhece os três figurinhas, dispensa apresentações. Para quem não conhece, são dois carinhas que fazem videos chamados vlogs e o terceiro moço é o vesguinho que canta meteoro...

Ok, mil anos e viajem demais para nossa mente primitiva. Mais daqui a cinqüenta anos muita coisa vai estar diferente. Imagino como serão os imortais da ABL (Academia brasileira de letras) que no meu tempo de brincadeiras no pátio da sede do Rio de Janeiro, sob o olhar de Machado de Assis, eram senhores carrancudos, grisalhos, com ares de nostalgia. Os futuros imortais serão blogueiros, tuiteiros, tatuados e no lugar do Machadão estará Paulo Coelho (!!!!!!!!!!). Putz....
                                                                     Paulo Coelho

Me interna... Enlouqueci de vez... Cheguei a comentar sobre minha teoria das dimensões? Não? Ah, é uma teoria ótima que...

NÃO CONTINUA... Pelo seu próprio bem! Os homens do futuro podem seqüestrá-lo... O.o

segunda-feira, 4 de julho de 2011

O coração - Parte II


O nome dele é Saulo. Pensava nisso enquanto se dirigia ao hospital a qual o doente encontrava-se. Pensou também que nunca escutaria um nome sem uma triste noticia, já que realmente achou que o “moreno maravilha” iria morrer. Mas não morreu. E parecia que todos atribuíam a salvação do homem a suas mãos. Mas ela não sentia, só queria saber como estava e prestar solidariedade.
O quarto indicado era aquele a poucos metros, o coração parecia pular fora do peito, respirou, tomou coragem e foi... Deu três passou e deparou-se com uma mulher abrindo a porta do quarto. Devia ter por volta de 20 anos, era mulata e muito bonita. Recuou. Achou melhor não ir, poderia ser a esposa do tal homem. Deu as costas e foi embora.
A moça que saiu do quarto se dirigiu a recepção do hospital e perguntou:
- Ninguém ainda? Meu pai está todo ansioso pela visita da tal mulher misteriosa que salvou sua vida. Acho que o nome dela é Mariana... Acho que é...
-Mariana?
Pergunta a recepcionista do hospital. Continuando após um sim feito com a cabeça da filha de Saulo.
-Mariana veio sim, já deve estar lá...
A moça volta em direção ao quarto, a fim de agradecer tal mulher por ajudar a salvar a vida do seu pai. Mas encontra apenas seu pai, com os olhos arregalados, provavelmente por achar que sua salvadora entraria na porta naquele momento.
-Pai, que estranho! A recepcionista do hospital disse que a tal Mariana veio, mas cadê? Será que se confundiu?
-Provavelmente Giane. Ela não deve vir. Quando me recuperar procuro por ela.
Saulo ficou triste, mas procurou disfarçar o sentimento para a filha Giane, que percebeu tudo. O pai estava muito “a fim” da tal mulher...
Giane ri, mas disfarça melhor que o pai.


Mariana caminha em mais uma bela manhã. O sol estava límpido, mas não fazia calor, tempo perfeito e calmo. A cabeça estava longe mais uma vez e escuta uma voz nada amigável, virando-se bruscamente:
-Cadê o celular dona? Cadê o relógio? O que é que tu tem ai de bom pá mim?
Era um assaltante, parecia estar bem alterado e queria sair no lucro a qualquer custo, só que Mariana nunca saia para caminhar com nada valioso, então, o meliante revolta-se, alterando seu estado para mais violento, empurrando Mariana no chão e preparando-se para surrá-la. Mariana não vê nada, só escuta outra voz aproximar-se e vê uma luta. O assaltante vai embora, xingando e fazendo gestos feios, Mariana tenta levantar-se e vê uma mão se estendendo, olha para a mão, os olhos ainda estão vertiginosos, respira e segura na mão, quando o corpo chega ao seu eixo, percebe que o homem que a salvou é Saulo. Olham-se por alguns segundos. Saulo tira o cabelo do rosto de Mariana e pergunta:
-Você está bem?
Mariana não responde. A voz não havia voltado a seu estado normal e o coração palpitava pelo ocorrido a pouco e pela presença de Saulo. Então ela responde:
-Estaríamos quites?
Risos, Saulo responde:
-O que você fez por mim foi muito mais importante. E foi um prazer “salvar” você, imagina que até agora segura minha mão...
Mariana percebe então que segurava nas mãos de Saulo, desde que ele as ofereceu para levantá-la. Mariana sente o rosto ficar rubro.
-Ah! Desculpa! E que eu fiquei muito nervosa!
-Imagina pode segurar...
Mas Mariana não torna a segurar e percebe os corpos muito juntos.
-O que faz por aqui sem estar correndo?
-Eu vim procurar você... Estou proibido pelos médicos a voltar correr do jeito que eu fazia... Precisava te agradecer, te reencontrar...
-Sabe, quando te via correr aqui, pensava que você se esforçava demais... Te apelidei mentalmente de The flash...
Os dois riem e Mariana continua:
-Vai sentir falta de praticar esportes como fazia antes. Está proibido de todo e qualquer esforço?
Saulo para, olha para Mariana e diz:
-Não tem proibição médica nesse mundo que me faça parar de fazer alguns esforcinhos...
Os dois riem novamente e com os rostos bem juntos sentem o calor um do outro, a mão de Saulo desliza do braço para a cintura da moça, os corpos se juntam mais, se apertam, se atraem e os lábios se juntam, a temperatura aumenta, a atração entre ambos era inevitável... Beijam-se e o ritmo dos corações era o mesmo, louco e desenfreado, Saulo aperta Mariana contra seu corpo, seu coração bate a um ritmo que não deveria bater, Mariana afasta Saulo do seu corpo e Saulo sente algo estranho. Mariana diz:
-Não! Melhor não...

Continua...

*****************************************************************

sábado, 25 de junho de 2011

O coração


O céu estava lindo! Um belo dia para caminhar, como fazia sempre... Não conseguia enjoar daquilo, virou um vicio...
O sol bateu no seu rosto, impedindo de ver aquele belo moreno, de corpo esbelto que corria diariamente. Só ouviu sua respiração ofegante passando por ela e meio segundo de troca de olhares... Ela já conhecia o ritmo acelerado dos seus passos, sua respiração e seu cheiro de homem suado. Só não conhecia o nome do belo espécime masculino, a vida e a história daquele homem. Mas isso também não lhe interessava muito, estava desiludida com amores, histórias de amor e todo esse assunto que ao final faz sofrer as criaturas mais infortunas... Mas aquele homem, em especial, lhe dava arrepios, isso ela não negava...

Uma volta completa em seu percurso e viu, sem que dessa vez o sol atrapalhasse, o tal homem se aproximando mais uma vez. Enquanto sua mente elaborava as cenas mais quentes com aquele belo corpo, viu em poucos segundos o homem ir ao chão, com as mãos na altura do peito.
-Ele caiu! Meu Deus! O que aconteceu?
Saiu correndo e foi a primeira a chegar onde o homem havia caído. Ele já estava desacordado e por impulso tentou sentir seu coração, sua respiração. Nada. Não respirava e o coração parecia não bater mais... Ela começou uma massagem cardíaca enquanto gritava por socorro e algumas pessoas se aproximavam.
-Pelo amor de Deus, alguém liga para os bombeiros, ambulância, alguém...

Olhou para o homem, nunca o vira tão de perto e ao mesmo tempo tão longe.
-Não morre moço! Não morre sem nem ao menos eu saber seu nome!

             ********************************************************

A cabeça doía e os olhos abriam-se lentamente. Estava confuso, não lembrava o que tinha acontecido, mas olhou em volta e reconheceu o ambiente, era um hospital...
-Caramba! O que aconteceu? Como vim parar aqui?
-Foi quase que partiu dessa para... Para... Ah! Sei lá! Como se sente hoje Sr. Saulo?
Saulo olhou e viu um jovem médico sorridente. Saulo estava confuso.
-Como me sinto hoje? O que aconteceu? Quantos dias estou aqui?
-Bom... Você tevê um ataque cardíaco. Por sorte uma moça passava bem no instante que você caiu e fez massagem cardíaca, senão não estaria aqui. Está desacordado desde ontem. Alias... Você além de sortudo é espertinho, salvo pelas mãos de uma bela mulher!
-Ataque cardíaco? Mas eu sou atleta! Como assim?
-Olha, assim que o resultado dos seus exames chegarem, lhe explicarei detalhadamente. A principio posso dizer que é comum atletas terem ataques cardíacos, você já tem quarenta e cinco anos e provavelmente tem algum histórico familiar de problemas cardíacos?
-Sim... Meu pai... Por isso comecei a praticar esportes...
-Aposto que não tem nenhum acompanhamento médico?
- Não...
-Então... Está “meio” explicado, né?
-É... Doutor pode me dizer quem foi que me salvou?
-Foi uma moça que caminhava no local e lhe fez massagem cardíaca... Foi o que te salvou, não teria chegado com vida aqui... Não sei o nome dela, provavelmente te fará uma visita hoje, pareceu bem preocupada... Ela tem uma... Uma... Um belo rosto!
O médico ri e baixa a cabeça. Saulo completa:
-Uma bela bunda! Tá eu sei quem é... To lembrando dela vindo correndo na minha direção quando cai.
Saulo também ri. E por algum momento pensa naquela ruiva maravilhosa, de boca carnuda e bela... Belas nádegas...
- Imagina! Ela não se interessaria por mim... Deve ser só preocupação por ter me visto quase morrer. Faria o mesmo por qualquer um... De qualquer forma, devo minha vida a ela. Preciso agradecer...

Continua...
             *******************************************************************

domingo, 5 de junho de 2011

Sobre zica, periquitas e Backstreet Boys

Alou! Eu estou aqui, queridos poucos leitores do meu humilde blog. Depois de passar por uma serie de “zicas” materiais e pessoais eu voltei... “Zicas” essas que contadas ninguém acredita! Mas o importante é que estou aqui, morrendo de saudade de vocês e do mundinho virtual que tanto me fez companhia nas horas de maior solidão. Acredite escrever em um caderninho me fez sentir pré-histórica, como uma adolescente que escreve em diários coloridinhos e cheios de adesivos, que nunca serão vistos ou lidos. Sim, eu fui uma adolescente de diário colorido, canetinha cheirinho de morango cores arco-íris e da turma de datilografia do SENAC... Putz, KASSETE! Enfim...

Dona Zica da Mangueira!!! A verdadeira DONA ZICA!!!

Falando em velharia, dia desses me encontrava em situação de total desespero e gravei alguns textos em um disquete para levá-los na Lan House e publicá-los. DISQUETE! Ei, você ai, sabe o que é um disquete? Eu usei tanto, tanto na minha época de Windows 98 e o garoto que trabalhava na Lan não sabia nem o que era! Ele me perguntou como usava e junto com outro garoto analisavam tal relíquia... Olhei bem para os dois e pensei: “somada às idades, deve passar a minha por um ano ou dois, paciência velhinha...” Também pensei que somadas as “periquitas” “comidas” pelos dois talvez desse a minha. Mas eu só pensei, afinal, meia periquita não existe! Eu acho... Que MULEQUES ESCROTOS!!! Também pensei isso, mas eu pensei bem alto!
                                                       Isso é um disquete. Já viu um?


                                                                 E periquita? Já viu? 

Saudosista eu? Ahaaa, só um pouquinho... Acho muito bacana comparar passado e presente, a evolução tecnológica que minha geração presenciou e imaginar como será tudo isso quando minha filha for adulta. Ela vai rir e me chamar de mulher do século passado (e sou mesmo, né?) quando descobrir que fiz curso de datilografia, usei disquete e Windows 98...  Ah, não preciso mencionar que na minha infância escutei muito disco vinil da Xuxa, Paquitas (PUTZ! PAQUITAS! QUE MERDA!) e afins. Mas isso fica em segredo! KKKKK!!!
                                                                        Paquitas (!!!)

Por isso que mesmo não gostando e não ouvindo, não critico a nova geração de adolescentes que escutam, choram e berram por bandas como o Restart e outras que não sei o nome, da geração Rock colorido e bobinho. Porra, eu ouvia Back Street Boys (!!!!) achava eles lindos, gostosos e todo esse blá, blá, blá juvenil e hormonal. Já tive meus maus momentos musicais, passa ou piora, vai depender da cabeça de cada um. Alguns amigos meus pioraram, bastante... RS... Mas cá pra nós, os BackStreet boys eram (ainda são!) bonitos, pelo menos isso.

Como um colírio! Bom para os olhos, para os ouvidos não faz diferença...


Me acompanha no twitter: http://twitter.com/#!/FabiFolly

quinta-feira, 21 de abril de 2011

Coexistimos?



Desde sempre a frase: “Religião é o ópio do povo” martela minha cabeça. Esses últimos dias tenho refletido muito sobre isso. Não só pelo efeito ópio, como pelo efeito explosivo que a palavra religião pode trazer. Em nome de Deus as maiores atrocidades foram feitas ao longo da história da humanidade.  

Tenho escutado e presenciado pessoas dizendo que é o fim do mundo, que tudo que acontece agora está escrito na bíblia. Ora meus caros, não quero desrespeitar a religião nem a crença de ninguém, até porque a abordagem aqui vai se tratar sobre respeito também, mas atrocidades acontecem desde que o mundo é mundo e o “fim” sempre muito próximo, em todas as épocas, nunca chegou. Esses dias vi um grupo de pessoas em plena Central do Brasil, aqui no Rio de Janeiro, com placas, blusas, panfletos, que anunciavam o “Fim do mundo” para o dia 11 de maio de 2011. Hã? SIM. Segundo esse grupo, muito simpático e sorridente (?), o FIM será mês que vem. Pensa que as pessoas achavam estranho o fim de tudo ser mês que vem? Nada! Logo um grupo de pessoas sorridentes também (É pra rir???), paravam e se informavam sobre o suposto fim... Imaginem a cena, eu sozinha na rua, vendo isso e... Rindo! Ri para cassete e no mínimo fui dada como louca pelos andantes que passavam. Sim, a louca seria eu, que não anuncio o fim para o mês que vem, enfim...

Logo mais adiante um outro grupo, de maioria senhoras, gritavam e esperneavam, com direito a microfone e caixa de som, algo muito parecido sobre o FIM, mas acredite em som de pagode (!!!) Ou como diziam pragod (KKKKKK!!!). Pensei: “Meu Deus! Que papo é esse? Você ta deixando o povo louco com isso!“ Tive a impressão que Deus me respondeu: “Minha filha, não tenho nada a ver com isso! São invenções humanas, me poupe...”
Ok! Fantasiei. Deus não falou comigo... Mas bem que essa seria uma ótima resposta para os preocupados com o fim, seja mês que vem ou daqui a 100 anos. Se existe um Deus ou não, com certeza, não deve ficar ameaçando as pessoas em acabar com tudo, acho que essa “invenção” de “fim” é mais uma forma de controlar as pessoas, de amedrontá-las e me arrisco até ousar dizer (me critiquem se quiser!) de conseguir mais dizimo, se é que vocês me entendem... Digo e repito: Quem está acabando com o mundo, somos nós, humanos medíocres, que nos sentimos os donos da verdade e da vida, imagem e semelhança de Deus que mata o próximo e comete atrocidades em nome de dinheiro e poder.

As pessoas podiam lançar campanhas para amar ao próximo, independentemente de raça, religião, classe social, opção sexual...  Acredite, toda guerra, toda violência que presenciamos até hoje nasceu de um preconceito, seja ele religioso, racista ou social.

A sociedade, não só no Brasil, tem uma dificuldade muito grande em aceitar o diferente, acreditando ser a sua a única verdade, não respeitando a opinião de outra pessoa. Esse mundo é tão grande, tão sortido e adverso de culturas e pensamentos, que soa ridículo, em pleno século XXI, noticias de racismo, intolerância religiosa e homofobia. Mas é o que mais temos visto ultimamente, não é mesmo? E pior: Com grande número de adeptos.

Ora, não estou pedindo para ninguém deixar de acreditar na Bíblia, no fim do mundo ou virar homossexual. Como já disse, respeito a verdade de cada um e suas crenças. Apenas alerto para não se deixar levar pelo apelo religioso “de fim” e de acreditar ser “a sua” a única verdade religiosa e cultural. Abra o coração, ame e respeite. Acredito ser essa a maior verdade do mundo, se não acredita, pelo menos respeite...

sábado, 2 de abril de 2011

Sobre mudança, Buda e Bolsonaro.

                                                           Fica ai meditando, fica...


Mudar é preciso! Mas que é difícil é demais... No meu caso, sem perder a personalidade, tarefa quase impossível, confesso.

Depois de umas rasteiras e decepções, relacionadas ao blog, resolvi fazer algumas “suaves” mudanças. Espero que meus três leitores assíduos gostem das mudanças que virão a seguir. Estou dando um tiro no escuro, não sei se acertarei, mas precisava fazer, não só aqui no blog, como na minha vida. Não tem jeito, virtual e real acabam se misturando. Papo chato esse, né? Pois é... Mas eu preciso começar de algum lugar e esse me pareceu o mais certo.

Eu poderia estar “tô nem ai” para meus pouquíssimos leitores e escrever logo o que quero escrever, mas preferi me explicar... Hã? Oi? Tá! Vou começar! Não falo mais sobre isso...

Pensei em tantas coisas para escrever aqui, aliás, minha mente esses dias tem trabalhado de uma forma tão filosófica... Mas acredite: É no momento menos propicio, o qual penso dez mil coisas legais para escrever aqui. Quando tenho apenas meu tênis correndo sobre o asfalto, minha determinação e minha respiração... Cadê as teclas para materializar tantos pensamentos? Cadê o cadernino? E quando finalmente termino, os pensamentos que eram férteis e prósperos, continuam a corrida pelo asfalto que deixei para trás, deixam minha mente, talvez atrás de algum atleta que continua por ali... Que pensamento safado, viu?

O amigo @rogerholanda sugeriu-me falar sobre Buda... Hã? B-U-D-A, que eu deixe bem claro! Acho que falar sobre o mestre religioso fará você ai, sair correndo e nunca mais voltar ao meu blog. Mas e bem interessante! Você sabia que BUDA não denota apenas um mestre religioso que viveu em uma determinada época? Mas toda uma categoria de seres iluminados que alcançam tal realização espiritual e... Opa, ok! Parei... É só ir ao Wikipédia...

Também pensei em falar sobre o Bolsonaro e sua opinião racista sobre gays e negros, mas assunto esse já muito debatido na net, inclusive por mim nas redes sociais. Então, meu queridos, que se foda o Bolsonaro, sua opinião e quem vota nesse enrustido. Sim, para mim quem diz coisas assim, não passa de um ENRUSTIDO. Penso que pode ser pior: Tem político por ai, que aperta sua mão, dá colo a criancinhas e diz apoiar o movimento gay, mas no intimo é um tremendo “Filadapulta” e ta se lixando para seus eleitores . O que não canso de dizer aqui? Investigue muito em quem votará, pesquise e lembre-se das promessas. Pois o Bolsonaro tem direito de expressar-se como quiser e arcar com as conseqüências depois, o que não pode acontecer é ele se eleger novamente, ISSO QUE NÃO DÁ!!!

Já sei, ta doido(a) para saber sobre os contos, né? Pois é... Os contos acabaram... (Ouço gritos?!) Calma! Brevemente divulgando o endereço de um blog só para eles, ok?

Acompanhe as novidades no meu twitter: http://twitter.com/#!/FabiFolly

segunda-feira, 28 de março de 2011

Amor de Carnaval - Parte 3 - Final


A Carla é muito desinibida. Timidez é uma palavra que não faz parte do seu vocabulário. Rapidamente armou a “situação” e colocou em prática seu plano. JH não podia recuar frente a tanto desempenho e por ironia do destino, Max aceitou. A princípio, um encontro a três para descontrair. Marcaram em um badalado barzinho da zona sul carioca.

 O papo ia bem animado e descontraído, Max e Carla pareciam velhos amigos e JH não se intimidou. Falaram de tudo um pouco, beberam (muito) e gargalharam... Até que Carla tomou a iniciativa de dizer:
- Vamos continuar esse papo lá em casa? Essa cerveja é muitoooo cara! E lá em casa tem um vinho...
Pagaram a conta e lá foram os três animados e alcoolizados amigos “de infância” para o apartamento da desinibida da academia...


E mais vinho! E mais conversa... Cada vez mais picante... Até que Carla que trajava um micro vestido preto, que revelava suas formas perfeitas e esculpidas por anos de exercícios, levanta-se e começa a dançar ao som de qualquer música que tocava... Qualquer música que ela dançasse seria sensual, qualquer gesto seria provocante e qualquer palavra seria afrodisíaca. Max aproxima-se e começa a dançar ao ritmo dela, dois corpos perfeitos em sintonia rítmica e física.

JH olha sem saber o que pensar... A principio acha graça e depois algo começa a mexer com seu interior. Ele não sabe ao certo o que é não aceita que possa estar gostando da situação, até que as enormes mãos de Max seguram Carla forte pela cintura, e um cinematográfico beijo acontece, deixando JH ainda mais confuso, mas, decidido a entrar “na dança”. Então JH aproxima-se e começa a dançar encaixado nas costas de Carla, afastando os fios loiros das costas e beijando a desinibida, selando a situação com um beijo a três...


Os três na cama, suados, cansados e JH perplexo com que acabara de acontecer. Max percebe e pergunta o que aconteceu. JH respira e muito nervoso fala:
-A culpa é sua! SUA!!!
-Culpa do que?
-Antes de te conhecer eu só queria pegar umas mulherzinhas... Agora eu pego mulher e deixo outro cara me... Me... Me encostar!!!  TE ODEIO!!!

Diz isso se levantando, colocando a roupa e Carla também levanta falando:
-Olha, não vou ficar no meio de briguinha de namorado, não, viu? Max, fiz o que você me pediu!  Agora eu vou..
-Como? Como é que é? Vocês se conhecem? Que dizer que essa porra toda foi armada?
-Xiiiiii... Fui, até logo!
Carla sai rapidamente e JH fica olhando Max no fundo dos olhos:
-Por quê? Por que fez isso?
-José Henrique, se eu soubesse que você era 100% hetero não faria isso. Mas sempre soube que você lá no fundo é o que você é. Só não sabia.  Agora que descobriu, o que vai fazer?

JH leva a mão ao rosto e diz:
-Eu realmente não sei...

Max aproxima-se de JH e o abraça forte...

quarta-feira, 9 de março de 2011

Amor de Carnaval - Parte 2

Lá estava seu novo amigo, a sua espera, sem camisa, fazendo todas as mulheres babarem por ele. Era um cara bonitão mesmo, que chamava a atenção e JH achou um cara “muito legal”, “pintoso”. Haviam conversado virtualmente quase à noite toda, se deram bem.
-Fala cara! Beleza?
-Beleza...
Aperto de mãos e sorrisos.
- Ai JH, esse bloco aqui ta fraquinho... Bora pra aquele outro lá, em Ipanema. O que você acha?
-Bora! Só se for agora!

Chegando lá, JH percebe a grande quantidade de homossexuais em tal bloco, e logo percebe que Max conhece muitos deles.

Logo, também, JH percebe que Max é gay... Mas como assim? Uma cara daquele tamanho? Chamariz de mulher e em nenhum       momento deu “pinta” que era...
JH não sabe como reagir, sai correndo, se arruma treta ou se simplesmente aceita o novo amigo. Mas algo mexe muito com ele nessa história toda e era disso que JH tinha medo...
JH sai à francesa. Some no meio da multidão...


O telefone toca, JH olha o identificador, era Max. JH respira fundo e atende:
-Alô
-Fala cara! Tu sumiu... Arrumô alguma mulherzinha lá no bloco?
-Porra cara, sabe o que é? Era um bloco gay... Quase não tinha mulher lá!
-Tem! Sempre tem gente sem preconceito. E eu pensei que você fosse um cara assim. Me enganei?
-Cara, eu não to acostumado com essa porra... Não tenho nada contra não, mas prefiro manter distância...
-Tá bom cara! Foi mal! Desculpa aê...

Max desligou o telefone... E JH ficou com aquela sensação de idiota, que só um preconceito pode trazer...


JH liga o computador, entra na internet e tenta esquecer o que aconteceu.  Entra no MSN e logo Carla, uma saradona gostosa da academia, diz:
-Oi...
JH fica feliz de uma mulher gostosa, finalmente, lhe dar atenção no carnaval.
E depois de muito blá, blá, blá, Carla faz a pergunta que pertuba JH:
-Quem era aquele amigo gostosão, que estava com você, no bloco de sábado?
-Ah.. Bom, olha eu conheci ele naquele dia! Mas é que, bem, o cara é gay...
-Hã? E daí? Continua sendo gostoso... Olha, minha fantasia sempre foi transar com dois gostosões, igual a você e seu amigo, ao mesmo tempo. Podíamos marcar algo, hein? O eu acha?
-Eu... Bem... Eu não sei... Se ele é gay, não vai querer sair com uma mulher.
-Querido, você, pelo visto, não entende NADA disso... Me dá o telefone dele! Eu mesmo marco um encontro a três, duvido que ele vá negar!

JH não sabe o que fazer... E com a certeza que Max não irá aceitar tal proposta, JH passa o telefone do amigo gay para a loira sarada sem pudores.

Continua... 

sábado, 26 de fevereiro de 2011

Amor de Carnaval - Parte I

Carnaval...  Época em que a raça humana, especialmente os machos da espécie, dá vazão a seu lado primitivo, natural e animalesco. Dentre tantas demonstrações selvagens exibidas no carnaval, o macho tenta exibir-se para a fêmea em idade acasalar, ou não, assim como não necessariamente só as fêmeas da espécie, se é que você me entende...

É um festival de homens (ou não) sem camisa, exibindo as horas de academia, levantamento de peso e “bombas” tomadas. Nesse meio lá estava José Henrique, sem camisa, quase fazendo a dança do acasalamento para as fêmeas que passavam por ele no bloco. Seu projeto de um ano inteiro para o carnaval: Ficar “forte” e “pegar” geral.

Mas algo estava errado... Tanto esforço não surtia efeito esperado. Só algumas “coroas” e mulheres de “simpatia exagerada” davam sorrizinhos mal intencionados. Dizia algo errado? Não estaria forte o suficiente?

Segundo dia de carnaval e nenhuma gata a seus pés... Isso era mal! Foi quando avistou aquele homem grande, forte, cabelo raspado e tatuagens pelo corpo. Ele não cantava as mulheres, elas que babavam por ele. Na verdade, José Henrique avistou seu ideal no carnaval, queria ser aquele cara... Aproximou-se e disse:

- Legal essas tattoos!
-Ah! Você gostou? Se quiser te dou o telefone do tatuador que fez.
-Ah, cara! Eu acho legal, mas não sei se tenho coragem de fazer...
-Pois você devia fazer... Malhou para caramba, um rabisco ai ficaria legal!
-Você acha?
José Henrique perguntou isso se alisando, se amava, se achava lindo. Como poderia nenhuma mulher querer alisar aquele corpo? Era um cara bom coração, esperto, carinhoso. No fundo mesmo, queria se apaixonar.
-Prazer cara! Meu nome é José Henrique ou como a galera me chama JH.
-Fala cara! Meu nome é Max.
-Max? Apelido?
-É cara... Meu nome é grande, meus pais viajaram, Maximiliano.

Os dois apertam as mãos fortemente. Ficam por ali conversando, trocam telefone, Orkut, MSN e combinam de ir para o próximo bloco de carnaval juntos...

Nasce uma amizade de carnaval...

Continua...

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Sobre vibrador, banana e feminices...


Estou decidida! Vou comprar um vibrador! Nada daquelas coisas bizarras e estrondosas, algo pequeno e discreto, fino e delicado. (Não caros leitores! Não se trata de um conto!)

Oras e por que não? Um vibrador não vai pegar no meu pé, não vai me trair, ser desleal, broxar, me achar feia, gorda, magra, alta, baixa, não vai sujar pratos e não vai sujar roupa. Ele só vai estar lá, a minha espera a serviço do meu prazer. Só... Perfeito! Não preciso de mais nada...

Numa dessas promessas de aniversário e de vida nova, prometi abrir a minha mente para novas experiências e emoções... Agora só “uso” os homens e brevemente meu vibrador... Um amigo ao saber disso me disse:

- Não precisa de vibrador! Você pode brincar comigo. Ficarei quietinho como um vibrador e você pode me usar a vontade!

(KKKKKKKKK...)

Homens são engraçadinhos, acham que a mulher que está sozinha é porque tem algum “defeito”... Ei!? Eu quero pegar todos, dá licença? Eu quero ter um vibrador, eu posso?! Se os homens podem pegar (comer) um monte de mulher por ai e sair com fama de garanhão eu também posso “comer” uns homens por ai e sair com fama de... PUTONA... Pois é... Mulher não sai com boa fama! Mas... Caguei!  Pensem bem: a ordem natural da coisa é: A boca come a banana, não ao contrário! (He, He, He)

A minha vida toda fui romântica, fiel, leal, amiga e companheira. E sabe o que eu levei com isso? Levei no cú (com toda força de expressão possível, mas sem levar propriamente no dito cujo, se é que vocês me entendem...)

Vamos parando por ai minha gente! Temos uma mulher presidente do Brasil, a presidente do flamengo é uma mulher (eeeeeeeeeeeeee) e a nova chefe da Policia Civil do RJ é uma MULHER! Os homens não levantam mais para dar lugar às mulheres e não nos respeitam mais, então, agora é de IGUAL para IGUAL...

ATENÇÃO MULHERADA: Vamos COMER TODO MUNDO!!!!! (eeeeeeeeeeeeeeeeeeee!!!)

*Por enquanto ainda só “darei” para o vibrador”...