domingo, 11 de outubro de 2009

Noites de loucura. PARTE II

   Hora de ir para casa, estava realmente cansado, pensava a quanto tempo exercicia aquela profissão, e que pela primeira vez sentia-se exausto, lembrou que faz tempo que não sabia o que era férias.
   Dois dias se passaram, lá estava em mais um plantão, estava revigorado, não sentia o cansaço dos outros dias e assim foi... Dez horas da noite, hora da ronda para apagar as luzes e verificar todos os andares, lá vai nosso herói sem nem mais lembrar do ocorrido sinistro plantão passado.
   Caminha por todo o primeiro andar, olha os leitos, apaga as luzes, comprimenta sua colega de trabalho que cruza o corredor. Sobe até o segundo andar e segue o mesmo ritual. Mais ao fundo, Gil vê uma luz acessa, caminha em direção a esta, e começa a escutar os múrmurios do plantão passado:
-Ai!!! Tô podre!!! Ai!!! Tô podre!!! Ai TÔ PODRE!!!
  Mais uma vez corre, corre muito depressa, imagina mil coisas, aqueles doidinhos não eram faceis, pensava enquanto corria. Mas, mais uma vez, a voz se dissipou com sua chegada ao leito. Apenas uma luz acessa e o interno dormindo enrolado nas cobertas... Gil ficou parado, mais uma vez não sabia o que estava acontecendo! Aquele interno estava brincando com ele? Estaria imaginando coisas?
  Nunca havia dado importância a acontecimentos relativos a seu trabalho, já havia visto de tudo; Napoleão Bonaparte, Anjos caidos do céu, Joana D'arc, ataques, frases, nojeiras... Mas aquilo ele não sabia explicar!
  Atordou-se a noite toda! Não era medo que sentia, era dúvida, cansaço, e por que aquele acontecimento normal para um hospicio mechia tanto com ele.
  Resolveu desabafar com alguém, sua colega de trabalho Lidiene, que dividia aquele plantão, mostrou-se assustada, afinal nunca vira Gil atormentado daquele jeito. - Será um fantasma Gil? Eu hein! Não subo naquele segundo andar sozinha nem que me pague rios de dinheiro! Disse Lidiene com ares de medo.
 Não ajudou muito, e no final do plantão já de manhã resolveu conversar com o Médico responsável Dr.Gustavo sobre o paciente que sempre está dormindo quando escuta os tais gritos.
- Olha é um quadro de esquizofrenia. Prever o que ele possa fazer é impossivel, mas demonstra ser calmo. Porque o que aconteceu? Disse o médico preocupado.
- Nada Dr. é que escuto ele falar coisas a noite, fiquei curioso, só isso.Disse Gil
-Qualquer problema me comunique.
  Gil ficou com vergonha de relatar o ocorrido ao médico, então deu um sorrizo amarelo e fez sim com a cabeça. Melhor ir para casa, não estou bem... 

Continua na 3ª parte(final)

Nenhum comentário: